CeluloseNotícias

Paper Excellence tenta reduzir valor pago à J&F pela compra da Eldorado

Grupo indonésio quer pressionar a holding dos irmãos Batista, alegando que há o risco de que ela não pague o valor estipulado ao final da apuração das indenizações

O caso Eldorado segue correndo em tribunal arbitral enquanto a Justiça não decide se anula ou não a sentença que determinou que a J&F Investimentos entregue a companhia de celulose à Paper Excellence. Agora, a batalha enfrenta um novo capítulo.

Para pressionar a holding dos irmãos Batista, os indonésios da PE pretendem pedir aos árbitros que retenham parte dos R$ 4 bilhões que devem ser entregues pela compra da Eldorado, segundo fontes próximas ao processo. Eles alegarão que há o risco de que a J&F não pague o valor estipulado ao final da apuração das indenizações e, dessa forma, teriam o valor retido como garantia.

No momento, o processo está em fase de apuração dessas possíveis indenizações – nesta etapa, os árbitros decidem se a PE tem direito a ressarcimento por conta da demora em assumir a Eldorado, já que a posse da companhia foi reconhecida como dela de direito.

Os advogados da Paper alegam, por exemplo, que houve uma espécie de lucros cessantes no decorrer do imbróglio, pois, sem poder tomar posse da empresa, a PE não pôde investir em uma segunda linha de produção, e calculam prejuízo diário de R$ 1,8 milhões, o que, em um ano, chegaria a R$ 657 milhões – apenas a arbitragem dura cerca de dois anos.

Dessa forma, a Paper Excellence quer tentar mostrar que a J&F pode sair sem nada da disputa ou com um valor bem inferior aos R$ 4 bilhões que foram acordados. Agora, cabe aos árbitros a decisão de concordar com a PE sobre a possibilidade de a holding não pagar as indenizações e também qual será o valor devido. Até a decisão da Justiça, o valor da compra permanece retido.

Além disso, o tribunal precisa escolher um novo árbitro, após a renúncia do advogado Anderson Schreiber ao processo. Ele foi acusado de parcialidade pela J&F, que tenta anular a decisão na Justiça, e renunciou com uma extensa carta endereçada ao tribunal se defendendo das alegações.

Fonte
Veja
Mostrar mais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo