fbpx

Banner Animado Adritz no Portal Tissue Online

Notícias Tissue no Brasil

Valmet registra 13% de crescimento em demanda global

valmet fabrica

Em expansão no Brasil, a líder mundial no desenvolvimento e fornecimento de tecnologia, automação e serviços para indústria de papel e celulose, caminha na contramão do mercado!

A Valmet, líder mundial no desenvolvimento e fornecimento de tecnologia, automação e serviços para a indústria de celulose, papel e energia, divulgou recentemente os resultados financeiros do terceiro trimestre de 2019. Neste período,  as ordens recebidas de clientes atingiram 1,1 bilhão de euros, representando um crescimento de 13% em comparação ao mesmo período do ano anterior. O crescimento foi sentido na América do Norte e América do Sul, em especial no Brasil.

As vendas líquidas aumentaram para 857 milhões de euros, significando um crescimento de 12%, decorrente do desempenho nas linhas de negócio de Serviços, Papel e Automação.

Como resultado, o EBITA cresceu 20 milhões de euros em comparação ao terceiro trimestre de 2018, atingindo 81 milhões de euros no período significando, também, melhora da lucratividade de 8% para 9,5%

Perspectivas econômicas

Atualmente, 70% da celulose produzida no Brasil destina-se à exportação, indicando forte tendência do setor em atuar no mercado externo. Devido à competitividade de custo da celulose de eucalipto produzida no País, existe demanda para substituir a celulose importada pela produção nacional. Com o recente anúncio de expansão da Klabin, com o projeto Puma II, reforça-se a potência da produção brasileira.

banner animado valmet

A Valmet é uma das fornecedoras da unidade Puma II com tecnologias de produção de papel embalagem e celulose. A parceria consiste em uma máquina kraftliner PM27, uma nova linha de fibras, um sistema de cozimento Compact Cooking G3™ e a reforma da linha de secagem de celulose. Além disso, as duas empresas assinaram uma Carta de Intenção (LOI) para a entrega de uma segunda máquina de papel kraftliner PM28, com um sistema de cozimento e de linha de fibras, nos quais se espera que os acordos finais sejam assinados e o fornecimento se inicie em maio de 2021. O valor do investimento está entre 260 e 290 milhões de euros.