NotíciasTissue no Brasil

Kimberly-Clark segue avançando em sua jornada de sustentabilidade

Até 2030, a companhia pretende melhorar a qualidade de vida e o bem-estar de 1 bilhão de pessoas e reduzir pela metade sua pegada ambiental

Com 150 anos de atuação, a multinacional de bens de consumo Kimberly-continua avançando rumo às metas estabelecidas em sua estratégia de sustentabilidade 2030, que objetiva melhorar a qualidade de vida e o bem-estar de 1 bilhão de pessoas em comunidades vulneráveis em todo o mundo e reduzir pela metade sua pegada ambiental. Dessa forma, tem se atentado a todas as etapas sua cadeia produtiva, da matéria-prima utilizada às práticas adotadas na linha de produção, no transporte e na distribuição dos produtos.

Desde 2020, a companhia possui o marco de “aterro zero” em todas as fábricas brasileiras, o que significa que nenhum excedente de produção é descartado em aterros sanitários. Dos polímeros à matéria orgânica gerada nas unidades, tudo é reaproveitado de alguma forma. A iniciativa vai ao encontro da meta de redução em até 50% das emissões de carbono e de gases de efeito estufa de suas operações e cadeia de suprimentos.

Para reduzir sua pegada ambiental pela metade, uma das principais estratégias é seguir investindo na redução do uso de fibras florestais naturais na fabricação dos produtos. Nesse ponto, a operação brasileira da Kimberly-Clark é uma das referências globais: a celulose utilizada nas linhas tissue é composta por fibras certificadas pelo FSC®, além de outros materiais controlados, que certificam um manejo ambientalmente adequado, socialmente benéfico e economicamente viável das florestas utilizadas para a produção destas fibras. A produção de celulose certificada FSC® se dá a partir de florestas plantadas, de espécies como eucalipto, e não com o corte de florestas nativas. Os produtos tissue da K-C que levam essas fibras em sua produção são certificados FSC®.

Já para melhorar a vida de 1 bilhão de pessoas a nível global, a Kimberly-Clark desenvolve, por meio de suas marcas, programas de impacto social, como o “Banheiros Mudam Vidas”, liderado por Neve®, como foco no desenvolvimento de soluções na área de saneamento básico. Concebido em 2015, na Bolívia, o programa chegou ao Brasil em 2016 e está presente hoje em 12 países. Em 2021, o programa fez sua estreia como articulador, reunindo parceiros importantes ao redor de discussões e soluções sobre saneamento básico no Brasil.

“As nossas metas e prioridades estão diretamente ligadas aos nossos consumidores, ao que fazemos e como fazemos. Para isso, é fundamental que toda companhia trabalhe juntos para fomentar inovações e buscar as mudanças que são necessárias, enquanto seguimos em busca de criar valor social, ambiental e financeiro”, comenta Carlos Pereira, diretor de operações da Kimberly-Clark no Brasil.

SUSTENTABILIDADE NAS MARCAS

Até 2030, a empresa pretende diminuir o do uso de plástico virgem à base de fósseis em 50%. Para isso, a marca Neve desenvolveu a linha Neve Puro e Natural, que usa embalagens feitas de Polietileno verde (PE) que se as tornam sustentáveis e 100% reciclável.

Além disso, a marca Huggies lançou, recentemente, uma versão de embalagem refil para o Sabonete Líquido Extra Suave de 200 ml, retirou conservantes dos cremes preventivos de assaduras e o corante amarelo da linha “Chá de Camomila”, priorizando substâncias que não tenham impacto nos mares, rios e reservas de água potável subterrâneas, além de realizar mudanças no sabonete em barra, adotando base vegetal.

No final de 2021, Huggies lançou o programa piloto Minha Primeira Reciclagem, em parceria com a Boomera, empresa especializada em economia circular, que possibilita que as fraldas utilizadas nas escolas sejam coletadas, recicladas e transformadas em matéria-prima para novos produtos.

Fonte
Kimberly-Clark
Mostrar mais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo