NotíciasTissue na América Latina

Kimberly-Clark promove encontro virtual para promoção da liderança feminina

O evento “Mulheres inspiradoras” contou com a participação de mais de 140 de executivos na América Latina com o objetivo de conhecer de perto a história da gerente geral da Natura, Verónica Marcelo

A Kimberly-Clark promoveu um encontro virtual com a participação de mais de 140 de seus executivos na América Latina, em virtude do programa interno de promoção da liderança feminina “Ela pode” (She Can). O evento teve o objetivo de conhecer de perto a história da gerente geral da Natura, Verónica Marcelo, e avançar na pauta da equidade de gênero.

A apresentação foi moderada pelo gerente geral do Cone Sul na Kimberly-Clark, Roberto Bellatti, que destacou a importância do espaço para apresentar a história pessoal da executiva, sua visão sobre o empoderamento feminino e, ainda, como os líderes têm um papel fundamental para a construção de ambientes de trabalho que permitam que cada pessoa expresse sua individualidade e seja valorizada por isso.

De acordo com as Estatísticas de Gênero divulgadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2019, a taxa de participação das mulheres na força de trabalho foi 54,5%. Entre os homens, esta medida chegou a 73,7% – uma diferença de 19,2 pontos percentuais. A desigualdade é maior entre as pessoas nos grupos ocupacionais com maiores rendimentos. Em cargos de direção e gerência, as mulheres assumiram 37,4% dos cargos – segunda queda anual consecutiva (em 2017, 39,2%; em 2018, 37,8%) – e receberam 61,9% do rendimento dos homens.

Nesse sentido, a multinacional norte-americana tem como meta global alcançar a igualdade de gênero até 2031. Hoje, 38% das posições de liderança em sua operação na América Latina são preenchidas por mulheres. “O desafio é grande e requer um compromisso que transcenda uma única empresa ou setor, por isso são muito valiosas a troca de práticas entre as empresas e a ampliação dessas redes, para além das áreas internas. Neste sentido, a Natura e a Kimberly-Clark concordam que equipes que atuam em espaços inclusivos e dentro de uma cultura de respeito proporcionam interações de maior valor, gerando inovação e soluções que fazem a diferença”, afirma a companhia.

“A promoção da igualdade de gênero é uma questão prioritária na agenda, pois as mulheres seguem enfrentando barreiras em seu crescimento e na evolução de suas carreiras. Mesmo a participação em cargos de liderança ainda é muito baixa e, portanto, é fundamental que as empresas façam o necessário para reverter esse quadro. Espaços como o #SheCan da Kimberly-Clark, criam redes e dão visibilidade ao tema, além de nos tornar agentes de uma construção coletiva. Só conquistaremos transformações significativas se, a partir do setor privado, trabalhamos juntos para construir uma sociedade mais democrática, inclusiva, diversa e igualitária. Não podemos mais olhar para outra direção”, comentou Verónica Marcelo, gerente geral da Natura na Argentina.

Buscando promover ambiente de trabalho mais justo e igualitário, a Kimberly-Clark aposta em conscientização e treinamentos voltados à pauta da equidade de gênero, além de adotar políticas concretas de contratação, que aumentam a representatividade feminina no quadro de funcionários.

O programa Ela pode, desenvolvido por meio da marca Intimus, busca fomentar, promover e acompanhar o desenvolvimento profissional e o networking das mulheres na América Latina, por meio da criação de redes femininas que promovem ativamente a agenda de inclusão e diversidade de gênero na região. Atualmente, o programa, que inclui mentoria, autoavaliações, discussões em grupo e workshops, conta com a participação de mais de 350 mulheres.

Outra iniciativa da empresa que integra o programa é o projeto Women Mentoring Women, com o intuito de conectar mulheres líderes de nível sênior com gestoras de outros níveis, visando, a partir desse acompanhamento, ao desenvolvimento da próxima geração de lideranças femininas, em todos os setores.

No ano passado, 59% das contratações administrativas foram de mulheres na K-C. A gigante de bens de consumo também alcançou 42% de mulheres em posições de liderança, enquanto 53% das vagas para este nível foram preenchidas por elas. Com relação aos novos talentos, 69% dos estagiários de graduação contratados na companhia, em 2021, são mulheres.

Mostrar mais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo