NotíciasPapel Marrom

Irani amplia oferta de sua linha antimicrobiana

A solução está disponível também em bobina de papel para atender empresas de diferentes segmentos

A Irani Papel e Embalagem segue inovando e ampliando a oferta de soluções no mercado. Com o objetivo de expandir sua linha antimicrobiana para empresas de diferentes segmentos e intensificar a proteção contra a transmissão de fungos, bactérias e vírus, agora o produto também está disponível em bobinas de papel (linha BagKraft).

Desenvolvida pela área de P&D da Irani, a linha antimicrobiana da companhia foi a primeira embalagem de papel com a tecnologia antiviral, antibacteriana e antifúngica do Brasil.

A solução é fabricada com matéria-prima reciclada e conta com componentes atóxicos com íons de prata, que criam uma barreira de proteção e inativam fungos, bactérias e vírus da superfície da embalagem, garantindo assim mais higiene, saúde e proteção aos produtos que acomoda e também às pessoas que manuseiam a embalagem. Outro diferencial é a durabilidade, já que a proteção antimicrobiana permanece ativa durante toda a vida útil do papel e da embalagem, mesmo se entrar em contato com outras substâncias.

 “O lançamento da linha antimicrobiana Irani foi um marco na história da indústria de papel e embalagens sustentáveis do país, especialmente no momento em que nós nos encontrávamos, o auge da pandemia do coronavírus. Agora, após um amplo estudo sobre tendências de consumo, concluímos que o produto tem potencial de mercado para ser ofertado de outra forma, atender ainda mais empresas e dar continuidade aos cuidados com a saúde dos consumidores”, diz Sérgio Ribas, diretor-presidente da Irani.

O executivo reforça que a linha antimicrobiana Irani poderá alcançar um público ainda maior, ampliando a oferta de um produto seguro contra fungos, bactérias e vírus. “O propósito da Irani é transformar a vida das pessoas com atitudes e soluções sustentáveis. E entendemos que com a linha antimicrobiana vamos proporcionar mais higiene, saúde e segurança à população em geral, ainda mais agora que o papel e embalagens de papelão estão cada vez mais presentes no dia a dia”, completa.

PROCESSO DE PRODUÇÃO

As micropartículas de prata são inseridas na composição do papel no momento de sua fabricação, garantindo, assim, que a proteção seja efetiva durante todo o ciclo primário do produto. A bobina resultante do processo é comercializada e o papel, já com o composto aplicado, é convertido em chapas de papelão ondulado que podem ser comercializadas dessa forma ou ainda convertidas em caixas. Nos produtos finais, bobinas, caixas e chapas, a inativação dos fungos, bactérias e vírus acontece quando entram em contato com a prata e sofrem uma oxidação, ocasionando a quebra de sua membrana e criando uma barreira de proteção no próprio papel à base de nanotecnologia.

Segundo testes realizados, a inativação de fungos, bactérias e vírus no papel é de 99% e de 99,9% em chapas e caixas. A linha antimicrobiana comercializada em bobinas de papel pode ser convertida em sacos de delivery, sacolas para varejo, entre outros. Já as chapas de papelão ondulado podem ser convertidas em diversos produtos como caixas, brinquedos para crianças e itens para pets, enquanto as caixas podem ser utilizadas para acondicionamento e transporte dos mais diversos itens, como embalagens para e-commerce, entre outros.

Fonte
Irani
Mostrar mais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo