fbpx


Banner Incape Portal Tissue Online


Banner Animado Valfilm Portal Tissue Online

Celulose Notícias

Após momento difícil, analistas recomendam ações da Fibria

Companhia mostra uma retomada do desempenho na comparação com 2013 e segue com recomendação de compra

FIBRIA

O segundo trimestre não foi fácil para a Fibria. A companhia viu seu lucro operacional cair 13% em relação ao primeiro trimestre, por causa da queda no preço da celulose no mercado internacional.

Contudo, a companhia já mostra uma retomada do desempenho na comparação com 2013 e segue com recomendação de compra dos analistas do Itaú Unibanco e do HSBC.

Segundo o analista do Itaú Unibanco Marcos Assumpção, os preços em reais da celulose caíram 8% entre o primeiro trimestre e o segundo.

A valorização do real frente o dólar também prejudicou a companhia, que é exportadora e tem boa parte de suas receitas denominadas na moeda americana.

Além disso, paradas de manutenção em plantas da Fibria aumentaram os custos da celulose produzida em 2% no segundo trimestre, trazendo mais impacto negativo sobre os resultados da empresa.

O lucro líquido, contudo, chegou a R$ 630 milhões, revertendo o prejuízo líquido de R$ 593 milhões no segundo trimestre do ano passado e ficando bem acima do lucro de R$ 17 milhões no primeiro trimestre deste ano.

Segundo o analista do Itaú, a companhia conseguiu reduzir seu endividamento e melhorou sua geração de fluxo de caixa.

“Acreditamos que o endividamento atual da Fibria é confortável e permite que a companhia escolha entre duas opções de crescimento, uma orgânica e outra via aquisição”, diz o relatório do banco enviado a clientes.

Em relatório, o analista Kevin Gonzalez, do banco HSBC, observa que os estoques totais globais de celulose em junho e os preços começaram a se estabilizar após a fragilidade dos últimos meses.

O principal risco a que se expõem os investidores ao aplicar nas ações da Fíbria é o cambial, já que uma valorização maior do real frente o dólar prejudicaria ainda mais a companhia.

Contudo, diante da análise dos resultados da companhia, o HSBC recomenda a compra das ações, estimando um preço justo de R$ 28,50 para os próximos 12 meses.

O analista do Itaú Unibanco também recomenda compra do papel, com perspectiva de desempenho acima da média do mercado e preço justo estimado de R$ 36,00.

No pregão de hoje, segundo dados preliminares, as ações ordinárias da Fibria (ON, com voto) fecharam em alta de 3,48%, negociadas a R$ 22,62. O Índice Bovespa subiu 0,97%, a 57.977 pontos.

Exame

selo_ok