NotíciasTissue no Mundo

Vendas da P&G crescem 7%, para US$ 76 bilhões

No ano fiscal de 2021, a empresa conseguiu avançar nos mercados, impulsionou o crescimento da receita e dos lucros e teve forte geração de caixa

Maior empresa de bens de consumo do mundo e dona de marcas como Charmin, Always e Pampers, a Procter & Gamble divulgou os resultados de seu último exercício fiscal.

Com presença global em 70 países, a empresa conseguiu avançar nos mercados, impulsionou o crescimento da receita e dos lucros e teve forte geração de caixa durante o ano fiscal de 2021. “A participação de mercado cresceu globalmente, em muitas de nossas combinações de categoria/país e, no último trimestre nos Estados Unidos, atingiu um dos valores absolutos de ações de maior valor dos últimos 20 anos”, comentou a empresa.

“Entregamos mais um ano de fortes resultados com crescimento equilibrado de receitas e forte geração de caixa, excedendo cada uma de nossas metas em andamento. Construímos um forte impulso antes da pandemia e fortalecemos ainda mais nossa posição. À medida que olhamos para o ano fiscal de 2022, esperamos continuar crescendo nas receitas e resultados financeiros e entregar mais um ano de forte retorno de caixa para os acionistas, apesar de um ambiente operacional e de custos desafiador”, disse David Taylor, presidente e CEO da empresa.

A P&G relatou vendas líquidas no ano fiscal de 2021 de US$ 76,1 bilhões, um aumento de 7% em comparação com o ano anterior. Excluindo os impactos de câmbios, aquisições e desinvestimentos, as vendas orgânicas aumentaram 6% e o lucro líquido diluído por ação foi de $ 5,50, uma alta de 11% em comparação com o ano anterior. O lucro básico por ação aumentou 11% com relação ao exercício anterior, para US$ 5,66.

A empresa gerou US$ 18,4 bilhões em fluxo de caixa operacional no ano fiscal de 2021, com uma produtividade ajustada de fluxo de caixa livre de 107%. A companhia também retornou $ 19,3 bilhões de valor aos acionistas por meio de $ 8,3 bilhões em pagamentos de dividendos e $ 11 bilhões em recompras de ações.

Para o ano fiscal de 2022, a P&G espera uma taxa de imposto efetiva na faixa de 18% a 19% e despesas de capital na faixa de 4% a 5% das vendas líquidas. A multinacional também almeja uma produtividade ajustada de fluxo de caixa livre de 90% e espera pagar mais de $ 8 bilhões em dividendos e recompra entre $ 7 bilhões e $ 9 bilhões de ações ordinárias.

Espera-se crescimento orgânico das vendas para o próximo ano fiscal na faixa de 2% a 4% em comparação com o ano anterior.

Fonte
Procter & Gamble
Mostrar mais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo