NotíciasTissue no Brasil

Suzano inicia operações em fábrica de tissue no ES

Unidade terá capacidade para produzir 30 mil toneladas de papel higiênico por ano

A Suzano anunciou ontem, 11, o início das operações de sua nova fábrica de tissue, localizada em Cachoeiro de Itapemirim (ES). R$ 130 milhões foram aplicados na unidade, que terá capacidade para produzir 30 mil toneladas de papel higiênico por ano, o que equivale a 15 mil fardos e a 1 milhão de rolos por dia. Esta é 11ª fábrica da Suzano e a segunda no Espírito Santo, já que já existia uma planta de produção de celulose em Aracruz.

De acordo com a empresa, a nova unidade dispõe de equipamentos de última geração que utilizam recursos da Indústria 4.0 e aliam inovação e sustentabilidade. “Todos os controles são automatizados, integrando informações dos equipamentos e do processo, com foco em segurança, eficiência operacional e qualidade”, comenta Vander Rios, gerente industrial da Suzano em Cachoeiro de Itapemirim.

Para o abastecimento da produção, a matéria-prima virá da própria Suzano, na unidade baiana de Mucuri. O início das atividades na nova planta se deu com a produção do papel higiênico Mimmo de folha dupla. A unidade também vai produzir o Mimmo de folha tripla – que é novidade no mercado – e o Max Pure de folha dupla.

O papel Mimmo, segundo a Suzano, foi apontado como líder de mercado em folha dupla no varejo do Espírito Santo em 2020, com uma fatia de 28% de participação, de acordo com pesquisa da Nielsen.

Espera-se que, até o final de 2021, a nova unidade esteja operando em plena capacidade. A planta integra um pacote de investimentos anunciado pela Suzano em dezembro de 2019, fruto de créditos de ICMS.

 

GERAÇÃO DE EMPREGOS E MOVIMENTAÇÃO DE NEGÓCIOS

A fabricante de papel e celulose informou que a unidade deve gerar 170 empregos diretos quando estiver operando em total capacidade. Até agora, 76 profissionais já foram integrados à equipe própria da companhia, e a maioria já passou por um treinamento no Senai local.

As outras 94 vagas devem ser preenchidas até o final do ano. À medida que forem abertas, elas serão divulgadas no site de contratações da companhia. A mão de obra local deve responder por 65% do total dos empregados.

A nova indústria também deve movimentar uma cadeia de negócios, representando oportunidade para empresas da região que atuam no fornecimento de diversos produtos e serviços.

Fonte
A Gazeta
Mostrar mais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo