CeluloseNotícias

Paper Excellence foca em agenda ESG

A produtora global de celulose e papel aposta em ações que demonstram o cuidado com o meio ambiente, questões sociais e administrativas

Cada vez mais, as empresas do segmento de papel e celulose estão apostando no conceito ESG (Environmental, Social and Governance), que em português significa Ambiental, Social e Governança. Apesar de recente, ele já é conhecido mundialmente e inclui uma série de conceitos de preocupação concreta com o meio ambiente, questões sociais e administrativas.

A Paper Excellence é uma das organizações focadas nessas diretrizes, tendo ações concretas de desenvolvimento sustentável que vão desde o respeito à biodiversidade, passando pelos eventos comunitários, aos costumes locais, até o uso de energia renovável e impacto ambiental.

“O envolvimento com comunidades locais e indígenas, por exemplo, é uma das bases da responsabilidade social corporativa e que se constrói em longo prazo. A Paper Excellence não só entende como incentiva e valoriza a importância do seu relacionamento com as comunidades locais”, explica o diretor de Relações Institucionais da empresa no Brasil, Guilherme Cunha Costa.

Com relação à questão ambiental, a matéria-prima para a produção da celulose e papel é 100% proveniente de florestas plantadas e 88% da energia utilizada nas fábricas da PE é limpa e gerada por meio da biomassa de resíduos de madeira. Desde 1990, a empresa conseguiu reduzir sua pegada de carbono em 59%.

Na área de governança corporativa, a produtora global de celulose e papel mantém suas relações institucionais e governamentais em processos éticos, transparentes e que buscam o diálogo entre todos os seus stakeholders, alinhado aos valores da empresa.

Apesar de ainda não haver um selo que comprove a agenda ESG das empresas, as certificações que já existem são verificadores importantes para consumidores e investidores. “Todas as fábricas da Paper Excellence utilizam sistemas de gestão ambiental ISO-14001, além disso, obedecem a rigorosos padrões internacionais de certificação de cadeia de custódia FSC®, PEFC ™ e SFI®”, completa o executivo.

INVESTIMENTOS NO SETOR

O setor florestal de árvores cultivadas, responsável por 100% da matéria-prima usada na produção de celulose e papel no Brasil, deve ter um crescimento de R$ 35,5 bilhões até 2023.

De acordo com a Ibá (Indústria Brasileira de Árvores), os novos aportes incluem florestas, novas fábricas, expansões, tecnologia e ciência. Os números correspondem a praticamente o dobro do registrado nos quatro anos anteriores, entre 2016 e 2019.

Na opinião de Guilherme, o alto nível de investimento demonstra a confiança do segmento no avanço da economia verde. “Os investidores buscam projetos ESG, e como as empresas do setor já têm anos de experiência na execução de projetos de sustentabilidade, os resultados são nítidos e comprovados”, conclui.

Fonte
Paper Excellence
Mostrar mais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo