NotíciasOutros papéis

Papéis para imprimir e escrever têm alta de 86% no 2º trimestre

Segundo a Ibá, as vendas domésticas de papéis, no consolidado dos diferentes tipos de produto, subiram 18,7%, para 1,37 milhão de toneladas

De acordo com a Indústria Brasileira de Árvores (Ibá), as vendas domésticas de papéis, no consolidado dos diferentes tipos de produto, subiram 18,7% no segundo trimestre, na comparação anual, para 1,37 milhão de toneladas.

O destaque, porém, ficou por conta dos papéis para imprimir e escrever, que tiveram alta de 86%, após terem despencado no segundo trimestre de 2020, em virtude das medidas adotadas para conter o avanço da pandemia. De abril a junho, a indústria brasileira vendeu internamente 333 mil toneladas desse tipo de papel.

Diante da retomada no segmento de imprimir e escrever e do desempenho robusto em papéis de embalagem e cartões, as vendas domésticas de papéis cresceram 11,4%, para 2,7 milhões de toneladas no acumulado do primeiro semestre.

PRODUÇÃO DE CELULOSE

A produção brasileira de celulose subiu 8,9% no segundo trimestre, na comparação anual, para 5,65 milhões de toneladas. No primeiro semestre, alcançou cerca de 11,1 milhões de toneladas, alta de 8,5% em relação ao mesmo período de 2020.

Já as exportações da matéria-prima se mantiveram estáveis entre abril e junho, em 4,1 milhões de toneladas. No acumulado do semestre, os embarques somaram 7,77 milhões de toneladas – queda de 0,8%.

A China continua sendo o principal destino da celulose fabricada no Brasil, com importações de US$ 1,35 bilhão no primeiro semestre – queda de 5,1% – conforme os dados da Ibá.

Nos primeiros seis meses do ano, as exportações de produtos da indústria de base florestal brasileira somaram cerca de US$ 4,1 bilhões, entre as quais US$ 3,2 bilhões em celulose e US$ 829 milhões em papel.

De acordo com o diretor executivo da Ibá, José Carlos da Fonseca Jr., a pandemia do coronavírus mudou hábitos de consumo. “Estamos em um novo momento, com consumidores mais exigentes e prontos para uma retomada verde”, disse.

Fonte
Valor Econômico
Mostrar mais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo