Celulose Notícias

Exportação de celulose cresce 26% em outubro

No acumulado de janeiro a outubro, exportações somaram US$8,8 bilhões

O levantamento nacional divulgado nesta quarta-feira (28) pela Indústria Brasileira de Árvores (Ibá) confirma o cenário positivo do setor, com crescimento acumulado de 26%, entre janeiro e outubro, nas exportações de celulose (33,7%), painel de madeira (5%) e papel (4,2%).

Conforme a pesquisa, o saldo da balança comercial também foi positivo, com avanço de 28,7% e resultado final de US$ 7,9 bilhões. A representatividade do setor seguiu com bons resultados e aumentou entre janeiro e outubro deste ano, totalizando 4,4% do total de exportações brasileiras e 10,4% das exportações do agronegócio.

Em Mato Grosso do Sul, o cenário positivo é semelhante, visto que o segmento celulose apresentou alta de 31,06% na participação das exportações regionais, no período de janeiro a outubro, com relação ao ano passado. Em termos de volume, o crescimento também foi positivo, 21,19%, indica a carta conjuntural da Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro).

A variação do câmbio também é destacada no documento da Semagro. No mês de outubro, a cotação do dólar apresentou desvalorização em relação ao mês anterior, chegando a uma taxa média de R$ 3,75, cerca de 8,70% abaixo da taxa média de setembro.

VOLUME PRODUZIDO

A produção de celulose segue em alta no acumulado do ano, com variação positiva de 9,3% e total de 17,4 milhões de toneladas fabricadas. No mês, a produção se manteve estável, atingindo 1,6 milhão de toneladas.

Já o papel demonstrou alta de 3,7% na comparação entre os meses de outubro de 2018 e do ano anterior. Destaque para embalagem, com avanço de 5,2%, e papelcartão, crescimento de 4,8%. De janeiro a outubro, a produção de papel se manteve estável.

PRINCIPAIS DESTINOS

A China segue como principal mercado externo para comercialização da celulose e até outubro adquiriu US$2,9 bilhões do produto brasileiro, aumento de 39,1% em relação ao mesmo período de 2017.

O papel, por sua vez, continua com seu foco de negociações externas na América Latina, que apresentou avanço de 9,0% no valor negociado. A América Latina ainda é o principal destino dos painéis de madeira e investiu US$ 142 milhões na aquisição do produto neste ano, alta de 12,7%.

CENÁRIO MS

Em termos de destino das exportações há uma concentração nas exportações para a China, que representou 48,51% do valor total das exportações de janeiro a outubro deste ano. Na análise isolada de outubro, no entanto, a Argentina representou 46,82% e a China, 40,78%.

Na avaliação do titular da Semagro, Jaime Verruck, “a manutenção da atual política econômica brasileira de comércio exterior com relação a China favorece Mato Grosso do Sul. Nós acreditamos que a nova equipe econômica do Governo Federal terá essa sensibilidade em não prejudicar os acordos comerciais com o mercado chinês”, observa.

Com relação à Argentina, o secretário lembra que “além de ser um importante parceiro comercial, empresas argentinas já sinalizaram com investimentos nas estruturas do terminal portuário de Porto Murtinho. Isso é fundamental para o escoamento do minério de ferro vindo de Corumbá e da soja em grão, por Porto Murtinho”.

De janeiro a outubro deste ano, as exportações via Porto Murtinho cresceram 152,84% em relação ao mesmo período do ano passado, enquanto que, por Corumbá, aumentaram 6,37%.

Em termos regionais, o município de Três Lagoas segue em destaque, com 49,41%% dos valores exportados, principalmente pelo principal produto – a celulose – que fez crescer em 78,73% dos despachos do município de janeiro a outubro de 2018 em comparação ao mesmo período do ano passado.

Comente com Facebook

Comentários