Celulose Notícias

Arauco vai investir 2,35 Bi de dólares

A expectativa é que este investimento de US$2,35 bilhões esteja operativo no final de março de 2021.

A direção da ARAUCO aprovou hoje o início da modernização e ampliação da Planta Arauco, iniciativa que considera um investimento de US$2.35 bilhões e que representa o maior investimento da história da companhia.

Esta nova fase do projeto que começou em 2012, e que está marcada pelo trabalho em conjunto e um amplo processo de participação com a comunidade, permitirá renovar e aumentar a eficiência e produtividade, além de fortalecer a competitividade e liderança da ARAUCO nos mercados globais.

Em termos de produção, o projeto considera a paralisação da linha 1, a modernização da atual linha 2 de produção e a construção de uma nova linha de produção (Linha 3), com uma capacidade de 1.560.000 toneladas anuais, permitindo assim um aumento na produção de celulose do complexo atingindo um total estimado de 2.100.000 toneladas anuais.

O MAPA (Modernização e Ampliação da Planta Arauco) também permitirá continuar gerando energia limpa e renovável, graças à construção de uma nova caldeira de cogeração elétrica, a partir de biomassa florestal. Além de autoabastecer a planta com energia limpa, será produzido um excedente máximo de 166 MW, que será entregado ao Sistema Elétrico Nacional (SEN) através de uma Linha de Transmissão Elétrica, cuja construção também faz parte do projeto.

Também está considerada a implementação de um programa de capacitação e formação para apoiar a criação de 4.000 a 5.000 empregos durante a construção, com um máximo de 8.000. Além disso, a expectativa é gerar cerca de 1.000 vagas de trabalho após terminada a construção, principalmente na área de serviços e na atividade Florestal. Isso no intuito de contribuir com o emprego e para dinamizar o desenvolvimento e a economia local.

O projeto também considera um novo sistema de tratamento de efluentes que começou a ser construído em 2015 e considerou um investimento de 120 milhões de dólares. Isso já está com um avanço de 99% na sua construção e permitirá entregar serviço para as atuais instalações e a futura linha 3.

O gerente de Assuntos Corporativos e Comerciais da ARAUCO, Charles Kimber, disse que “estamos muito orgulhosos pela concretização desse projeto, pois dá conta do longo e positivo trabalho em conjunto que realizamos com a comunidade e as autoridades”.

“Este é um projeto de enorme relevância para o país e a região do Biobío, e vai permitir modernizar e aumentar a eficiência produtiva das nossas instalações. Também permitirá fortalecer a competitividade e liderança da ARAUCO e do país nos mercados globais”.

Da mesma forma, Kimber disse que “este projeto considera o mais amplo programa de investimentos da história da ARAUCO, que vai ser desenvolvido justamente em um município com o qual mantemos uma longa e estreita relação, pois é aqui onde esta companhia nasceu”.

O caminho percorrido

Em 2012 a ARAUCO assumiu o desafio de que o desenvolvimento do MAPA representasse uma contribuição real para o território. Por isso, desde o início o projeto considerou um amplo programa de investimentos em tecnologia, infraestrutura, equipamento, desenvolvimento da produção, educação e cultura.

Também foi realizado um extenso processo de participação da cidadania, articulado em torno de três Casas Abertas, onde foi implementado um programa voluntário para informar e conversar com os vizinhos diretos das operações atuais e do Projeto.

Entre os principais projetos associados encontramos: A construção do Campus Arauco (Centro de formação Dual em conjunto com o DUOC UC), o Centro Cultural da Arauco, programas de equipamento e infraestrutura associados ao processo de Consulta Indígena, Programa de Estudos Ecossistêmicos do Golfo de Arauco (PREGA), o Plano de Moradia da ARAUCO e iniciativas comunitárias de acordo com a comunidade.

Construção e operação

Embora a Modernização da Planta ARAUCO começou em 2015, com a construção do novo sistema de tratamento de efluentes, a etapa de Ampliação vai começar em dezembro deste ano com o objetivo de operar no final de março de 2021.

Por essa razão, durante este processo a companhia buscará criar capacidades, gerar emprego e dinamizar diferentes setores produtivos do território, sempre acompanhada pela incorporação das tecnologias mais modernas e importantes avanços ambientais.

Comente com Facebook

Comentários