Celulose Notícias

Termelétrica da Eldorado vai pagar R$ 1,7 milhão de compensação ambiental

Com capacidade de 50 megawatts, a usina vai gerar energia a partir de restos florestais

A Usina Termelétrica Onça Pintada, que será instalada em Três Lagoas pela Eldorado Brasil, terá que pagar compensação ambiental de R$ 1, 7 milhão.

O valor foi definido pelo Imasul (Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul) e divulgado na edição de hoje (dia 24) do Diário Oficial do Estado. O investimento previsto para a usina é de R$ 328 milhões.

Com capacidade de 50 megawatts, a usina vai gerar energia a partir de restos florestais, como folhas, raízes, cascas e outros subprodutos da madeira que não são usados na fabricação da celulose.

A expectativa é de que a unidade entre em operação em 2021 e seja a primeira a gerar eletricidade a partir da biomassa de eucalipto no Estado. A nova unidade deve gerar mil postos de trabalho.

A biomassa se transforma em energia a partir da combustão do material orgânico, sendo considerada uma fonte de energia limpa e de ganho ambiental, já que o material poderia causar impactos na natureza ao apodrecer. A usina será erguida na área onde funciona a planta de processamento de celulose.

Comente com Facebook

Comentários