NotíciasOutros papéis

Sylvamo anuncia saída da Rússia

A empresa afirmou não estar disposta a operar em um ambiente “inconsistente” com seus valores

A Sylvamo anunciou o término de suas operações na Rússia, por não estar disposta a operar em um ambiente “inconsistente” com seus valores.

“Somos impulsionados por nosso valor mais importante de sempre fazer as coisas certas, do jeito certo, pelas razões certas, portanto, tomamos a decisão de sair da Rússia. Faremos isso de maneira ordenada e estamos realizando um processo para vender nossa empresa russa”, afirmou Jean-Michel Ribiéras, presidente do Conselho de Administração e CEO da companhia.

“Estamos trabalhando para chegar a um acordo e planejamos concluir esse processo prontamente, incluindo obter a aprovação de nosso conselho de administração, bem como as aprovações governamentais necessárias para executar a transação”, completou.

De acordo com o executivo, neste momento não está sendo implementada uma suspensão total das operações, “principalmente porque queremos manter o controle total de nossos ativos enquanto trabalhamos para sair da Rússia”. Ribiéras disse que o negócio recebeu “um número significativo de ofertas não vinculativas”.

A planta de Svetogorsk está localizada perto da fronteira com a Finlândia. Emprega 1.700 pessoas e é descrita como uma das fábricas de papel e celulose mais eficientes e modernas do país.

Svetogorsk tem uma capacidade anual de 720.000 toneladas curtas de celulose, papel e papelão. Produz papéis de impressão SvetoCopy e Ballet, cartões para embalagens de líquidos e celulose termomecânica branqueada.

RESULTADOS

A empresa informou que, no primeiro trimestre deste ano, teve Ebitda ajustado de US$ 187 milhões e um lucro operacional ajustado de US$ 87 milhões. Neste ano, projeta gerar entre US$ 725 milhões e US$ 775 milhões em Ebitda ajustado e de US$ 160 milhões a US$ 180 milhões em fluxo de caixa livre.

Outros destaques do primeiro trimestre são o lucro líquido de US$ 26 milhões, impactado pela despesa de depreciação de US$ 68 milhões nas operações na Rússia, e fluxo de caixa livre de US$ 73 milhões.

“Geramos fortes ganhos e fluxo de caixa livre. Esperamos continuar essa tendência e atingir os níveis de ganhos pré-pandemia, mesmo excluindo nossos negócios na Rússia. Temos a equipe certa para continuar a atender nossos clientes e superar a inflação de custos de insumos e os obstáculos da cadeia de suprimentos”, concluiu Ribiéras.

Fonte
SylvamoPrintweek
Mostrar mais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo