CeluloseNotícias

Suzano e Veracel se unem para monitorar fauna e flora

A expectativa é que, com o monitoramento padronizado e uso da mesma metodologia, as empresas otimizem recursos e tenham refinamento de informações sobre território de mais de 900 mil hectares. Os resultados devem ser divulgados ainda no começo deste ano!

animal arvore imagem ilustrativa

Uma nova abordagem de monitoramento de biodiversidade territorial, denominado Monitoramento de Biodiversidade Bamges (acrônimo das siglas dos estados da Bahia, Minas Gerais e Espírito Santos) foi iniciada pelas empresas do setor de papel e celulose: Suzano e Veracel. O objetivo é monitorar a biodiversidade do território em mais de 900 mil hectares sob a gestão das duas empresas nesses estados. A área  abrange o chamado Corredor Central da Mata Atlântica, território onde a floresta possui extrema riqueza biológica e abriga muitas espécies de distribuição restrita e ameaçadas de extinção.

“Com esse projeto conheceremos mais a biodiversidade territorial, propiciando melhorar a gestão sobre a conservação da fauna e flora em áreas de alto valor de conservação das empresas na região”, conta Virginia Londe de Camargos, coordenadora de Estratégia Ambiental e Gestão Integrada da Veracel.

Segundo ela, desde 2008 as duas empresas monitoram a biodiversidade dos mesmos grupos de fauna (mamíferos e aves) e flora, mas de forma isolada e por meio de metodologias que não permitiam estudos integrados.  “O Bamges é o aperfeiçoamento desse projeto, porque melhoramos a qualidade das informações e comparamos cada ambiente com as suas particularidades. Com esse conhecimento acumulado, o amadurecimento e a evolução da gestão ambiental das empresas, teremos uma avaliação sistêmica e geração de ações concretas para a conservação da biodiversidade, um importante legado do setor florestal para a região”, avalia.

Para Yugo Matsuda, gerente de Sustentabilidade da Suzano, a iniciativa vai contribuir de forma integrada para a conservação de biodiversidade. “Pensar apenas em monitoramento de biodiversidade não é o suficiente. É preciso agir efetivamente. Precisamos pensar de forma integrada e ativa para os problemas e ameaças que nossa biodiversidade tem sofrido ao longo dos tempos. Isso tudo só é possível tendo olhar e gestão do território amplo em parcerias com universidades, empresas, comunidades, ONGs, entre outros. Isso é o que propomos com o Bamges”, afirma.

A integração de metodologia e das áreas é fruto de uma parceria entre as empresas e a Casa da Floresta, consultoria que realiza os monitoramentos e que delineou toda a metodologia de padronização do levantamento. A coleta em campo e a análise dos dados serão feitos ao longo de três anos e a previsão é de que os primeiros resultados de 2019 sejam divulgados ainda no começo deste ano.

Empresas

A Veracel tem capacidade de produção anual de 1,1 milhão de toneladas de celulose branqueada de eucalipto, atingindo em maio deste ano a marca de 15 milhões de toneladas produzidas. A atual configuração da base florestal da Veracel mantém um hectare protegido ambientalmente para cada hectare de plantio de eucalipto.

A Suzano, empresa resultante da fusão entre a Suzano Papel e Celulose e a Fibria, tem o compromisso de ser referência global no uso sustentável de recursos naturais.

Líder mundial na fabricação de celulose de eucalipto e uma das maiores fabricantes de papéis da América Latina, a companhia exporta para mais de 80 países e, a partir de seus produtos, está presente na vida de mais de 2 bilhões de pessoas.

Com operações de dez fábricas, além da joint operation Veracel, possui capacidade instalada de 10,9 milhões de toneladas de celulose de mercado e 1,4 milhão de toneladas de papéis por ano.

A Suzano tem mais de 35 mil colaboradores diretos e indiretos e investe há mais de 90 anos em soluções inovadoras a partir do plantio de eucalipto, as quais permitam a substituição de matérias-primas de origem fóssil por fontes de origem renovável.

A companhia possui os mais elevados níveis de Governança Corporativa da B3, no Brasil, e da New York Stock Exchange (NYSE), nos Estados Unidos, mercados onde suas ações são negociadas.

LEIA TAMBÉM:

Mostrar mais
Botão Voltar ao topo