Banner Animado Valfilm Portal Tissue Online

Notícias Sustentabilidade Tissue no Mundo

Projeto europeu promove iniciativas a favor do meio ambiente e da sustentabilidade.

PREFER – Sigla de Pegada Ecológica do Produto Aprimorada por Regiões – é um projeto iniciado pela LIFE+, o programa da Comissão Europeia que promove iniciativas a favor do meio ambiente e da sustentabilidade.

shutterstock_123809299-HOME

O projeto oferece a aplicação da “Pegada Ecológica do Produto (PEP)”, uma metodologia inovadora aprovada pela Comissão Europeia conforme a Recomendação 2013/179/EU, que rege a análise de ciclo de vida de um produto para avaliar seu impacto ambiental.
Os resultados de cada levantamento de PEP fornecem informações e dados que podem auxiliar as empresas em suas escolhas estratégicas ou ser utilizadas para descrever o desempenho ambiental de um produto, sugerindo aos consumidores como escolher os menos prejudiciais do ponto de vista ambiental. Na Itália, o projeto PREFER acarreta a aplicação da metodologia PEP a produtos provenientes de 8 distritos industriais, com a intenção, entre outras, de aprimorar o valor percebido dos produtos italianos de excelência – desde o queijo parmesão até o espumante de Asti, itens de vestuário e, obviamente, o papel – tornando-os não só qualitativamente bons e esteticamente agradáveis, mas também mais sustentáveis para o meio ambiente.

O PROJETO PREFER DECOLOU EM OUTUBRO DE 2013 E TERÁ CONTINUIDADE ATÉ DEZEMBRO DE 2016.NaItália, sua coordenação é de responsabilidade da universidade Scuola Superiore Sant’Anna – Instituto de Administração, que juntamente com o CENTROCOT (localizado em Busto Arsizio), o Consorzio dell’Asti (Asti), ERVET (Bolonha), Distretto Nocera Gragnano (Salerno) e o departamento da Região da Lombardia, implantarão o projeto nas regiões de Campania, Emilia Romagna, Lombardia, Piedmont e Toscana. Lucca, o distrito do papel, está entre os distritos toscanos envolvidos. Em particular, o projeto pretende identificar a pegada ecológica de produtos pertencentes à categoria do tissue, tais como o papel higiênico, lenços de papel, guardanapos e toalha de papel, e então oferecer indicações e medidas para reduzir seu impacto no meio ambiente.

O PROFESSOR FABIO IRALDO, Professor da Scuola Superiore Sant’Anna e especialista em Gestão Ambiental Corporativa e Gestão de Ciclo de Vida, chefe da equipe que lida com a aplicação de PEP dentro do projeto, explica: “A metodologia PEP que estamos aplicando examina todas as emissões geradas pela fabricação de um produto, começando pela matéria-prima empregada, durante todo seu ciclo de vida, até o descarte e/ou reciclagem. No caso do papel, levamos em conta as florestas de onde a celulose é retirada ou as origens do material a ser reciclado, até o fim da vida do produto de tissue”.

 “A PRIMEIRA FASE DO PROJETO ENVOLVE A ANÁLISE DO CICLO DE VIDA DO PRODUTO A NÍVEL DISTRITAL, a fim de criar a PEP de um produto que represente Lucca, o distrito do papel. Neste momento, estamos coletando dados e informações que nos permitam definir a pegada ecológica do papel higiênico e de outros produtos tipicamente produzidos no distrito de Lucca. Enquanto isso, estamos selecionando empresas que desejam aplicar a PEP a um de seus produtos de forma voluntária.”

“A SEGUNDA FASE DO PREFER ENVOLVE A CRIAÇÃO DE INSTRUMENTOS QUE PODEM AUXILIAR AS EMPRESAS NA APLICAÇÃO DA METODOLOGIA PEP (ferramentas online, bancos de dados dos distritos, etc.) e nas iniciativas de comunicação e treinamento das empresas participantes.” O professor Iraldo acrescenta: “Devido a sua complexidade, a PEP pode exigir um grande esforço das empresas menores que desejem implementá-la. Por este motivo, decidimos ajudar as pequenas e médias empresas, aplicando o método a distritos caracterizados pela presença de empresas de pequeno e médio porte, um modelo tipicamente italiano que devemos levar em consideração. As atividades que identificaremos têm a intenção de reduzir os obstáculos que pequenas e médias empresas podem encontrar ao aplicar esta metodologia, principalmente devido à falta de recursos humanos, técnicos e econômicos.”
Uma vez que a PEP se tornar aplicável a diferentes empresas de produção, elas podem medir o impacto ambiental de seus produtos, tomar providências para reduzi-lo, receber certificação das autoridades competentes e comunicar isso ao mercado. Por exemplo, na área do papel, os resultados da fase experimental da metodologia PEP pode resultar em maior atenção voltada à gestão de corrente, e não somente ao aspecto de produção. O professor Iraldo conclui: “Por enquanto, a aplicação da metodologia PEP ainda está em fase experimental e, portanto, não é obrigatória. Ocorre puramente de forma voluntária.
Mas a atenção que a Comissão Europeia está dedicando ao tema da proteção ambiental sugere que não subestimemos sua abrangência e importância. A Comissão trabalha para criar consciência nos consumidores europeus quanto ao uso de produtos com um impacto ambiental menor. Este é um aspecto que, nos anos futuros, se tornará uma vantagem competitiva válida que as empresas poderão utilizar para diferenciar seus produtos e fazer com que os consumidores deem preferência a eles. A verdadeira medida do impacto e dos métodos de comunicação deverá ser abrangente e confiável, de forma que o consumidor possa escolher com consciência.”

O COMITÊ PROMOCIONAL DO EMAS no distrito do papel, composto pelo departamento da Província de Lucca, da Associação dos Industriais e pelo próprio distrito, se une à Scuola Sant’Anna na implantação do projeto, promovendo a participação das empresas presentes no território e os resultados obtidos. Portanto, o projeto oferece uma oportunidade única para o distrito e seus produtos e, ao mesmo tempo, estimula o desenvolvimento de instrumentos inovadores que podem aumentar a concorrência entre as empresas incentivando temas de sustentabilidade.

Perini Journal