NotíciasTissue na América Latina

“Os produtos devem ser, mais do que nunca, de altíssima qualidade”, diz executivo do Grupo Familia

Felipe Gómez destaca a importância da conscientização sobre biossegurança e a adesão aos protocolos de saúde diante da pandemia

A construção de espaços seguros que se adaptem às necessidades atuais de higiene, saneamento e desinfecção em locais públicos e privados é um dos eixos do novo conceito de saúde com a ainda atual pandemia de Covid-19.

A afirmação é de Felipe Gómez, gerente do canal Institucional Grupo Familia. O executivo também destaca a importância da conscientização sobre biossegurança e a adesão aos protocolos de saúde, nas quais o grupo já possui vasta experiência.

“No Grupo Familia, temos acompanhado as instituições para promover essa cultura de bem-estar e cuidado dentro de suas empresas, aumentando o nível de conscientização, que hoje está se tornando mais relevante entre os usuários”, explica Gómez, destacando que essa é uma tendência que veio para ficar e o mais importante é que as organizações tenham um aliado especialista no assunto.

Ele acredita que a educação para a higiene será essencial para mitigar o ataque do vírus, pelo menos até que as vacinas cheguem aos países na proporção certa.

O especialista se baseia em um estudo realizado pela Essity® Essentials Initiative 2020-2021, que indica que, em mais de 15 países, mais de 40% das pessoas se abstêm de usar academias, banheiros públicos ou viajar de transporte público devido ao novo coronavírus.

Além disso, a pesquisa revelou que 60% das pessoas se sentiriam mais seguras ao visitar espaços públicos lotados se tivessem mais postos de higiene das mãos ou outras alternativas. No caso da Colômbia, onde está sediado o grupo, em 2020, 5.500 empresas correram o risco de declarar falência, segundo a Superintendência de Empresas, e muitas foram obrigadas a fechar as portas ao público devido à crise sanitária.

Essa situação obrigou empresários e empreendedores a transformarem radicalmente os processos de higiene interna das instituições, de forma a garantir o bem-estar de todos, mitigando o risco de infecções massivas.

O Grupo Familia, por sua vez, não parou de operar mesmo nos meses mais difíceis da pandemia, lembra Gómez. Além disso, a situação representava um desafio, pois era preciso garantir a saúde e o bem-estar de seus colaboradores e familiares, ao mesmo tempo em que operações e produtividade deveriam ser mantidas.

Considerando uma nova visão de negócio em que a Covid-19 é considerada um risco permanente, Gómez defendeu que o investimento das instituições seja direcionado para a formação dos colaboradores em questões de biossegurança e higiene e na aquisição de todos os insumos necessários que facilitem esse processo.

“Os produtos devem ser, mais do que nunca, de altíssima qualidade e também promover o cuidado com o meio ambiente”, detalha. Essa filosofia se aplica ao grupo nos países onde atualmente está presente: Colômbia (matriz), Equador, Peru, Bolívia e República Dominicana. Com relação as ações de formação e educação, Gómez lembrou que a Familia Institucional tem trabalhado na criação de conteúdos gratuitos sobre higiene empresarial em seu website.

Por meio dessas ferramentas, em 2020, mais de 900 instituições foram impactadas (no Equador, foram 270) e mais de 40.000 usuários sensibilizados, e neste ano, a expectativa é atingir mais de 1.000 instituições e mais de 45.000 usuários para contribuir com a retomada econômica segura.

 

“Grande parte deste conteúdo é nosso, como especialistas em higiene em vários setores, e outra parte da nossa aliada Essity®”, explicou Gómez. Especificamente os setores de alimentação, saúde, hotelaria, construção e bancário têm um protocolo desenhado pela Familia Institucional para poder retomar suas atividades. Em cada um deles, diz Gómez, existem padrões, insumos e ferramentas muito diferentes.

Com relação à demanda de produtos, Gómez comentou que a Familia Institucional teve uma grande demanda por gel antibacteriano, toalhas de mão e sabonetes líquidos, mas, por outro lado, no setor de alimentação, categorias como guardanapos foram seriamente afetadas justamente pelo fechamento dos restaurantes ou pelo seu funcionamento com capacidade mínima. A categoria de papel higiênico nas instituições também foi afetada, pois poucas pessoas permaneceram nos escritórios e muitas migraram para o teletrabalho.

A expectativa para 2021 é continuar educando e promovendo a conscientização sobre os novos cuidados em saúde, uma vez que a cultura necessária ainda não está 100% implantada nas instituições e nem nos usuários. “À medida em que haja oportunidade de seguir implementando normas de higiene e higiene, haverá oportunidades de ter um novo portfólio e continuar gerando adesão aos protocolos”, declarou Gómez. Ele concluiu salientando que a Familia Institucional continuará acompanhando todos os setores da indústria e do comércio para minimizar esse cenário, orientando-os para o uso adequado de seus produtos.

Fonte
Qué Noticias
Mostrar mais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo