NotíciasPapel Marrom

Klabin é a única empresa brasileira a integrar grupo da COP26

A maior fabricante e exportadora de embalagens em papel do país também é responsável por propagar as metas da economia de baixo carbono na América Latina

A Klabin conquistou lugar seleto nos debates em preparação à próxima Conferência Climática da Organização das Nações Unidas, a COP26, a ser realizada em novembro. A maior fabricante e exportadora de embalagens em papel do país foi a única empresa brasileira convidada a integrar o COP26 Business Leaders, grupo composto por dez executivos da iniciativa privada, e é responsável por propagar as metas da economia de baixo carbono na América Latina.

A companhia ainda assumiu o compromisso de engajar empresas e governos no programa global “Race to Zero”, que objetiva zerar as emissões líquidas de gases do efeito estufa até 2050. Para intensificar esse movimento, lançou, no Dia Nacional da Conscientização sobre as Mudanças Climáticas (16 de março), uma campanha para atingir novas adesões no país à meta de descarbonização.

“Queremos que mais pessoas, empresas e governos participem desse debate. Nosso compromisso é trazer toda a sociedade para a discussão”, afirma o diretor-geral da Klabin, Cristiano Teixeira, ressaltando que isso também requer atrair entes públicos para o debate. “A despeito das diferentes agendas, o que está em curso é uma campanha global”, completa.

Isso significa, na visão do executivo, que eventuais descumprimentos à rigorosa legislação ambiental brasileira, também devem ser abordados. “O debate deve ser amplo e focar na legislação que é boa e está posta”, defende.

Teixeira, eleito em 2020 presidente do ano no 12º PPI Awards, da Fastmarkets Risi, conta que o convite da COP é um reconhecimento aos esforços empregados pela organização na área ambiental – muitas vezes pioneiros. Teve peso relevante para esse reconhecimento a adesão da Klabin à SBTi (do inglês Science Based Target Initiative), de pautar suas metas relacionadas à redução de emissões pela ciência do clima. Desde o fim de 2020, o COP26 Business Leaders se reúne periodicamente para compartilhar informações a respeito da promoção da agenda ambiental em cada país.

 

A Klabin tem, atualmente, um estoque líquido de 4,7 milhões de toneladas de carbono equivalente – uma quantidade elevada, que, no futuro, contribuirá para que outras empresas cumpram metas de descarbonização, além trazer ganhos econômicos.

A fabricante de celulose e embalagens, em outras frentes, ainda diminuiu, em 45%, desde 2004, o consumo específico de água. Além disso, mais de 90% da energia que consome provém de fonte renovável.

Neste primeiro momento, as ações de divulgação do programa global estão direcionadas a clientes, fornecedores e dez associações com as quais a empresa tem algum relacionamento, como a Empapel (Associação Brasileira de Embalagens em Papel), a Abre (Associação Brasileira de Embalagem) e a Câmara Americana de Comércio (Amcham).

Fonte
Valor Econômico
Mostrar mais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo