NotíciasTissue no mundo

Kimberly-Clark tem lucro operacional de US$ 787 milhões no primeiro trimestre

O faturamento do período somou US$ 5,2 bilhões, com alta de 2%

A Kimberly-Clark divulgou seus resultados do primeiro trimestre de 2023, registrando lucro operacional de US$ 787 milhões – acima dos US$ 693 milhões entre janeiro e março do ano anterior –, com margem operacional de 15,1%. Em uma base ajustada, o lucro operacional aumentou 25%, impulsionado pelo maior lucro bruto.

Já o lucro diluído por ação foi de US$ 1,67, um aumento de 8%, com crescimento de 24% em relação ao lucro ajustado por ação no ano passado.

O faturamento do período somou US$ 5,2 bilhões, com alta de 2% nas vendas líquidas e 5% nas vendas orgânicas, impulsionadas por um aumento de 10% no preço e mix de produtos favorável.

“Nossa estratégia de crescimento continua a oferecer uma forte execução de nossos programas comerciais. As iniciativas de gerenciamento de crescimento de receita impulsionaram o avanço contínuo das vendas com um impacto de elasticidade melhor do que o esperado no volume. Com nosso forte portfólio de marcas confiáveis, temos como objetivo o crescimento de nossas categorias e a conquista de consumidores para permitir um crescimento lucrativo e de longo prazo”, disse o presidente e CEO da Kimberly-Clark, Mike Hsu.

“Embora as pressões inflacionárias ainda não tenham diminuído, impulsionamos uma melhoria contínua em nossa margem bruta neste trimestre. Continuaremos a nos apoiar em nossos programas de produtividade e economia de custos para mitigar custos elevados, enquanto investimos estrategicamente em plataformas de crescimento futuras que expandirão nossa presença em mercados atraentes nos próximos anos”, completou o executivo.

O caixa gerado pelas operações foi de US$ 613 milhões, em comparação com os US$ 204 milhões do ano passado, impulsionado pelo aumento do lucro operacional e melhorias no capital de giro. Os gastos de capital foram de US$ 201 milhões, ante US$ 253 milhões no ano anterior.

SEGMENTO DE PERSONAL CARE

O faturamento no segmento de cuidados pessoais foi de US$ 2,7 bilhões, com queda de 1% nas vendas líquidas, enquanto as vendas orgânicas aumentaram 3% – impulsionadas pelo preço e mix, parcialmente compensadas pelo menor volume. As vendas orgânicas incluíram um impacto de 1 ponto percentual da saída de um contrato de marca própria.

O lucro operacional do primeiro trimestre alcançou US$ 487 milhões, subindo 3%, com crescimento orgânico e economia de custos parcialmente compensados pela inflação de custos de insumos, marketing, despesas gerais e de pesquisa, bem como um impacto desfavorável da moeda estrangeira.

SEGMENTO DE TISSUE PARA CONSUMO

O faturamento no segmento de tissue para consumo foi de US$ 1,6 bilhão, alta de 4% nas vendas líquidas e 7% nas vendas orgânicas, impulsionado pelo preço e parcialmente compensado pelo volume. O segmento apresentou crescimento orgânico em todas as principais regiões.

O lucro operacional totalizou US$ 240 milhões no primeiro trimestre, um aumento de 40% – o crescimento também foi compensado pela inflação e custos.

SEGMENTO K-C PROFESSIONAL

Na linha professional, o faturamento somou US$ 847 milhões. As vendas líquidas aumentaram 9%, incluindo crescimento orgânico de 11%, impulsionadas pelo preço e mix, parcialmente compensados pelo volume. O segmento institucional apresentou crescimento orgânico nas principais categorias e regiões.

O lucro operacional do primeiro trimestre de US$ 159 milhões, subindo 77%, impulsionado pelo foco contínuo na disciplina de custos e no crescimento lucrativo.

Após os resultados positivos, a empresa elevou sua previsão de lucro para o ano inteiro, já que aumentos consistentes de preços ajudaram a companhia a registrar vendas melhores do que o esperado no primeiro trimestre, apesar dos volumes fracos em todos os seus segmentos.

Fonte
Kimberly-Clark
Mostrar mais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo