NotíciasTissue no Mundo

Kimberly-Clark faz parcerias para reduzir uso de plásticos

A companhia se uniu a RWDC, Bioplastic Feedstock Alliance (BFA) e World Wildlife Fund (WWF) com o compromisso de diminuir o desperdício

A poluição por plástico é um problema global com impactos ambientais massivos. De acordo com um estudo realizado pelo Fórum Econômico Mundial, a Ellen MacArthur Foundation e a McKinsey & Company, cerca de 11 milhões de toneladas de plástico entram nos oceanos a cada ano – o equivalente a um caminhão basculante por minuto.

Essas tendências alarmantes estão impulsionando a crescente demanda por ações para eliminar o lixo plástico. Alcançar este objetivo requer uma estratégia para reduzir o uso de plástico tradicional em produtos e embalagens, melhorar a recuperação de resíduos e métodos de reciclagem e desenvolver materiais alternativos que são projetados para serem reutilizáveis, recicláveis e biodegradáveis.

A Kimberly-Clark se comprometeu em reduzir o uso de novos plásticos baseados em combustíveis fósseis em 50% até o final da década. A companhia está trabalhando internamente e com seus parceiros para mudar para materiais e processos mais sustentáveis. A empresa pretende, em 2025, tornar 100% de suas embalagens reutilizáveis, recicláveis ou compostáveis. Também definiu uma meta de 75% do material em seus produtos para ser biodegradável ou recuperado e reciclado até 2030.

A união entre governos, ONG’s, consumidores e empresas desempenha um papel fundamental na promoção da mudança. Por essa razão, a K-C firmou parceria com empresas de biotecnologia como a RWDC para desenvolver materiais de última geração para substituir os plásticos tradicionais derivados do petróleo.

A colaboração fornecerá à Kimberly-Clark o material fonte de poli-hidroxialcanoatos (PHA) da RWDC, SolonTM, para desenvolver resinas compostáveis e degradáveis no mar. Caso os produtos ou embalagens feitas com PHA encontrem seu caminho para o meio ambiente, eles se biodegradam no solo, na água doce e em ambientes marinhos, evitando que plásticos persistentes se acumulem no meio ambiente.

Além disso, a Kimberly-Clark se juntou à Bioplastic Feedstock Alliance (BFA), do World Wildlife Fund (WWF), em 2020. O fórum de compartilhamento de conhecimento de múltiplas partes interessadas une as principais empresas de bens de consumo com ONGs e líderes acadêmicos que estão explorando alternativas de base biológica ao plástico tradicional.

Ao longo do ano passado, a BFA e seus membros fizeram progressos significativos no avanço do papel do plástico de base biológica e biodegradável no combate à poluição global por plástico.

A participação da Kimberly-Clark na BFA baseia-se em sua associação no ReSource: Plastic, o centro de ativação do WWF para ajudar as empresas a dobrarem as taxas de reciclagem, reduzirem o plástico desnecessário e mudar para fontes sustentáveis para os plásticos de que precisam.

Essas iniciativas reforçam seu compromisso com a inovação e a redução do desperdício.

Fonte
3BL MEDIA
Mostrar mais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo