Notícias Tissue no Brasil

Fábrica de papel onde funcionário morreu já havia sido autuada pelo Ministério do Trabalho

MTE informou que empresa está sendo alvo de nova fiscalização. Gilberto Donizete Machado morreu após cair em um batedor de produtos químicos em uma fábrica de papel higiênico em Itapeva (SP).

Fábrica fica no bairro Taquari em Itapeva (SP) (Foto: TV TEM/Reprodução)

A fábrica de papel higiênico em que um funcionário morreu após cair em um batedor que mistura produtos químicos, no dia 13 de maio em Itapeva (SP), já havia sido autuada pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) por deixar de exigir equipamento de proteção aos trabalhadores.

LEIA A NOTÍCIA: Funcionário cai em pulper de fábrica de papel

O trabalhador Gilberto Donizete Machado, de 49 anos, morreu após cair em um batedor que mistura produtos químicos dentro da fábrica.

Segundo informações do MTE encaminhadas ao G1, a Taquari Indústria e Comércio de Papéis foi alvo de uma fiscalização em 2016, quando auditores fiscais do trabalho constataram que a empresa descumpria normas de saúde e segurança no trabalho.

Uma das infrações foi sobre o descumprimento da lei que exige equipamentos de proteção individual, da segurança em máquinas, equipamentos, caldeiras e vasos de pressão.

Ao G1, a Taquari informou que a empresa sempre acatou pontualmente as solicitações feitas pelo MTE e que sempre disponibiliza, treina e fiscaliza a utilização dos equipamentos de proteção individual.

Segundo o MTE, os valores de multa podem variar de acordo com cada dispositivo legal violado e de vários outros critérios técnicos.

Nova fiscalização

O Ministério do Trabalho e Emprego ainda informou que a empresa está sendo alvo de uma nova fiscalização, classificada como análise de acidente de trabalho. Será, também, nesta fiscalização que o MTE verificará se a empresa está seguindo as normas das quais foi autuada em 2016.

Os auditores buscam apurar os fatos e circunstâncias que eventualmente tenham resultado na morte de Gilberto.

O MTE informou que se comprovado um novo descumprimento de normas, novas autuações serão feitas e um relatório encaminhado a outros órgãos, como a Advocacia Geral da União e Ministério Público do Trabalho, onde darão continuidade aos procedimentos.

O acidente

O trabalhador, de 49 anos, morreu após cair em um batedor que mistura produtos químicos dentro da fábrica. De acordo com o Corpo de Bombeiros, colegas sentiram falta do funcionário e começaram a procurá-lo, mas não o encontraram.

Após chamar os bombeiros, por volta das 5h, os funcionários notaram que havia um tambor dentro de um batedor – que funciona como um liquidificador – que mistura produtos químicos ao papel.

Os funcionários desligaram a máquina e os bombeiros foram chamados para fazer o resgate. Os bombeiros isolaram o local e chamaram a Polícia Militar e a perícia técnica.

A mesma fábrica foi atingida por um incêndio em março deste ano. O fogo teria começado próximo a uma caldeira e atingido as bobinas de papel que são a matéria prima do papel higiênico.

Fonte: G1