ContechNotíciasTissue no Brasil

Contech desenvolve solução inovadora sem talco para controle de pitch e stickies

A empresa desenvolveu um mix de adsorventes completamente novo, com um material inédito no mercado: a argila sintética

Após a restrição do uso de talco em diversas empresas em todo o mundo por conta de substâncias carcinogênicas, a Contech se empenhou em trazer para o mercado um novo mix de adsorventes para controle de pitch e stickies em fábricas de papel e celulose.

Sendo um adsorvente convencional, de primeira geração, o talco tem ação importante para a remoção de contaminantes, porém, oferece risco para a saúde humana devido à presença de compostos como amianto e asbestos. “O grande desafio é propor um mix de adsorventes que possam ter uma propriedade de adsorção tão boa quanto talco, ao mesmo tempo que não seja nocivo para a saúde humana, e que resolva o problema de pitch e stickies”, explicou Ricardo Barreto, diretor industrial da Contech Brasil, no programa Talk Tissue com Felipe Quintino.

Nesse sentido, a Contech desenvolveu um mix de adsorventes completamente novo, com um material inédito no mercado: a argila sintética. “Esse mix, além de ter uma eficiência muito grande de remoção de contaminantes, se torna ainda mais eficaz utilizando um sistema mecânico, com a expertise da Contech”, comentou.

A nova técnica permitiu atingir eficiências de 300% até 400% acima das alcançadas anteriormente. O processo ocorre em um equipamento termodinâmico chamado mixer, que é uma câmara cisalhadora de fluxo contínuo, com o propósito de aumentar o sítio de adsorção desses adsorventes. Há uma homogeneização do mix, uma mistura das micropartículas adsorventes, além de uma inovação de aplicação, com a entrada do polímero catiônico (ou biopolímero), promovendo a organofilização in situ.

Outras tecnologias, de primeira e segunda gerações, não foram capazes de substituir o talco por gerar efeitos secundários em retenção e drenagem, atrapalhando a condução da máquina de papel. “A nossa tecnologia de terceira geração traz novos adsorventes, e dentro desse mix conseguimos uma eficiência de fixação e detackificação, que é a remoção do tack, da pegajosidade do pitch e dos stickies”, completou Barreto. Dessa forma, não há efeitos secundários em retenção e drenagem, que eram um grande problema de tecnologias de segunda geração.

Já em fase inicial de prospecção, a nova tecnologia apresentou resultados positivos. “Temos dois estudos de caso em fábricas de papel embalagem com resultados muito expressivos, chegamos a remover mais de 70% dos contaminantes coloidais, enquanto a tecnologia anterior removia no máximo 15%, 20%”, detalhou Ricardo. Por consequência, deve haver menos reclamações de clientes com relação a pintas, depósitos pegajosos e perdas na hora da conversão do papel.

A Contech trabalha com um conceito chamado 3way, que vai além do efeito e controle do depósito de contaminantes, trabalhando na causa do problema, por meio de uma tecnologia inovadora, que atua tanto na massa como no tratamento das águas de processo, fazendo o reuso dentro do circuito. “É uma tecnologia muito importante especialmente para essa tendência que temos hoje de fechamento de circuito”, concluiu.

Confira na íntegra o Talk Tissue com Ricardo Barreto, diretor industrial da Contech Brasil:

Mostrar mais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo