Celulose Notícias

Bracelpa: Produção de celulose e de papel se mantém em alta

2240103-136932-1280

2240103-136932-1280A produção de celulose de janeiro a setembro registrou crescimento de 6,6%, em comparação ao mesmo período de 2012, totalizando 11,10 milhões de toneladas produzidas. No ano passado, o volume no período foi de 10,40 milhões de toneladas. As exportações do produto também cresceram, chegando a 6,97 milhões de toneladas, 12,6% a mais do que os 6,19 milhões de toneladas, somados nos mesmos meses de 2012.

As vendas de celulose para a China, que segue como o segundo maior mercado para o produto brasileiro, somaram US$ 1,11 bilhão, com aumento de 26,7% no acumulado do ano, enquanto que para o principal mercado, a Europa, a receita teve leve variação positiva de 0,6% no período, totalizando US$ 1,61 bilhão.

Em relação ao papel, a produção nacional totalizou 7,76 milhões de toneladas o que representa 1,4% de crescimento de janeiro a setembro deste ano, na comparação com igual período de 2012, quando foram produzidas 7,66 milhões de toneladas. No acumulado, as vendas domésticas de papel também registraram aumento de 2,7%, chegando a 4,19 milhões de toneladas.

A receita de exportação do setor de celulose e papel acumulou um crescimento de 8,4% de janeiro a setembro, totalizando US$ 5,32 bilhões. Em relação à celulose, o crescimento da receita de exportação foi de 12,7% no acumulado do ano, chegando a US$ 3,84 bilhões, enquanto o segmento de papel apresentou variação de – 1,3%, com US$ 1,47 bilhão. Com isso, o saldo da balança comercial do setor somou US$ 3,90 bilhões nesses dez meses, 13,8% superior ao alcançado no mesmo período de 2012.

Papel Imune – O combate ao desvio de finalidade de papel imune ganhou mais um reforço, com o lançamento do site www.papelimune.org.br, criado pela Bracelpa, Afeigraf, Andipa e Abigraf, para divulgar a Campanha de Conscientização contra o uso indevido do produto. A primeira ação promovida, disponível no site, trata do Termo de Compromisso Voluntário, que prevê uma série de medidas e comportamento proativo para evitar que o papel imune, que é isento de impostos exclusivamente para confecção de livros, jornais e periódicos, seja desviado para outros fins. Mais de 40 empresas associadas dessas entidades já assinaram o documento, afirmando a legalidade de suas operações com papel imune.

Também entrou em vigor em 1º de outubro a medida que institui a Rotulagem nas embalagens do papel imune. Em janeiro de 2014, será a vez do RECOPI Nacional, que permitirá às Secretarias da Fazenda acompanhar o destino do papel imune comercializado em cada Estado. Ambas as medidas contribuirão para erradicar esse ilícito fiscal que causa sérias distorções no mercado brasileiro de papel.

FONTE

Comente com Facebook

Comentários