CeluloseNotícias

Veracel utiliza conceitos de Indústria 4.0 para manutenção prescritiva

O intuito é prever possíveis problemas e necessidades de manutenções no maquinário de sua unidade fabril

Indústria de celulose localizada no Sul da Bahia, a Veracel está expandindo a aplicação dos conceitos de Indústria 4.0 e digitalização em sua operação. A empresa é uma das pioneiras no Brasil a fazer uso de inteligência artificial alinhada à manutenção prescritiva, com o intuito de prever possíveis problemas e necessidades de manutenções no maquinário de sua unidade fabril.

Em execução desde agosto, o projeto piloto permitiu, por meio de dados históricos, predizer, com até seis semanas de antecedência, falhas de equipamentos, que poderiam ser evitadas ou melhor planejadas se a solução já tivesse sido implantada. O projeto definitivo já está sendo implantado e passará a funcionar em junho. De acordo com a companhia, a ideia é que a tecnologia seja constantemente ampliada, excedendo os limites da fábrica e chegando às máquinas da área florestal da empresa.

“Durante uma fase de testes que durou cerca de seus meses, conseguimos validar a solução e comprovar sua eficiência antes mesmo de colocá-la em operação por completo na fábrica”, explica Washington Lúcio Gonçalves, coordenador de Confiabilidade da companhia, setor responsável pelo monitoramento e previsão do ciclo de vida de equipamentos, sistemas e suas necessidades de manutenção. “Isso posiciona a Veracel como uma referência de inovação do setor, uma vez que conseguimos aplicar a inteligência artificial para gerar benefícios diretos na qualidade da produção e na estabilidade da operação da empresa, reduzindo custos e gerando ainda mais eficiência para a empresa, com melhorias diretas na disponibilidade e na performance dos equipamentos”, complementa.

A iniciativa foi fruto de uma atuação conjunta entra as áreas de Confiabilidade e Tecnologia da Informação da Veracel, que estudam o projeto desde 2019 e trabalharam para inovar e buscar ganhos de eficiência por meio da tecnologia. A fabricante de celulose ainda contratou uma empresa especializada na incorporação de inteligência artificial (IA) em ambientes de manufatura industrial, que viabilizou a ferramenta por meio do software de leitura e cruzamento de dados que está sendo usado.

Depois de validar os resultados positivos alcançados durante o período de testes, os funcionários da Veracel receberão treinamento para a utilização ferramenta. No próximo mês, a tecnologia já deve estar ativa para 13 das principais máquinas da fábrica. “Nossa expectativa é ampliar cada vez mais o escopo da ferramenta para todas as máquinas da planta, além de avaliar a possibilidade de levar a tecnologia para os equipamentos utilizados também nas florestas de eucalipto da empresa”, diz André Borges, analista sênior de Negócios de TI da Veracel e um dos responsáveis pelo projeto.

COMO FUNCIONA A TECNOLOGIA

A solução opera captando todas as informações e o banco de dados registrados pelos sensores que já estavam disponíveis e sendo capturados nas máquinas da Veracel. Assim, dois robôs de inteligência artificial cruzam esses dados com modelos matemáticos e estatísticos, e conseguem informar quando haverá uma falha e qual será o tipo do problema. Além disso, é aberta uma ordem de serviço no sistema da empresa para que a equipe de manutenção corrija a situação antes mesmo de ela vir a ocorrer.

Um dos robôs ainda prevê até mesmo quando acontecerá uma falha que não tinha sido mapeada anteriormente, e encaminha a informação para avaliação da equipe especializada. Como usa inteligência artificial, a tecnologia aprende de forma constante e, a cada leitura, renova a precisão dos cálculos e a previsão de novas possibilidades de quebra.

Os dados preditos pela ferramenta também gerarão dashboards de controle mais precisos e completos, que possibilitará ao time da Veracel avaliar oportunidades de melhorias nos processos da fábrica e na forma de utilização das máquinas. A tecnologia ainda compila as informações totalmente on-line, o que permite o monitoramento das predições pelos colaboradores especializados e gestores mesmo de fora da planta.

“Essa tecnologia nos permitirá gerir as atividades de manutenção da fábrica com muito mais planejamento e previsibilidade. Com ela, nossos colaboradores se tornarão ainda mais especialistas em suas atividades, uma vez que contarão com uma ferramenta que realiza milhares de cálculos e predições impossíveis para um ser humano, além de trazer informações e estatísticas que permitirão aos nossos times ter uma visão ainda mais estratégica de sua atividade, transformando esse conhecimento em uma ferramenta de apoio importante para a tomada de decisão e melhoria de processos”, afirma Washington Gonçalves.

“Estamos bastante satisfeitos em termos conseguido dar esse grande passo quanto ao uso de inteligência artificial em nossas operações, ainda mais de forma tão inovadora para o setor de celulose no Brasil. Nosso objetivo é continuar trabalhando nessa frente e unir cada vez mais o conhecimento da empresa com as tecnologias que estão disponíveis no mercado de forma assertiva e que faça diferença para o negócio”, conclui André Borges.

Fonte
Veracel
Mostrar mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo