Notícias Tissue no Mundo

Toscotec e Celupaper: 6 anos de uma cooperação de sucesso!

Entrevista com o CEO da Celupaper, Sr. Mario Luis Speranza, para discutir seus projetos passados ​​e futuros.

Da direita para esquerda temos: Sr. Alessandro Mennucci CEO da Toscotec e Sr. Mario Luis Speranza CEO da Celupaper SA, no momento da assinatura do contrato da TM5.

A Celupaper S.A. é uma fabricante argentina de papel Tissue pertencente ao Grupo Vual, um grupo regional de papel líder especializado na produção e comercialização de produtos de celulose e papel tissue, incluindo guardanapos, toalhas de cozinha e papel higiênico, com uma produção anual de 75.000 toneladas. O Grupo pertence à família Speranza e opera três fábricas de papel (Jose Juan Yapur, Celupaper e Papelera Nicarágua), uma fábrica de celulose (Celulosa Alto Vale) e centros de distribuição em Santa Fé, Córdoba, Bahia Blanca e Buenos Aires, com mais de 700 funcionários.

Nos últimos 6 anos, a Celupaper colaborou com a fabricante italiana de máquinas de papel a Toscotec em todos os seus projetos de máquinas de papel tissue. Em 2015, a Toscotec realizou uma grande reforma na máquina TM2 existente. Após esse projeto de reforma, a Celupaper instalou duas linhas completas de Tissue com a Toscotec: uma máquina MODULO em 2016 (TM3) e uma máquina MODULO-PLUS em 2018 (TM4). Em seu mais recente investimento (TM5), a Celupaper repetiu a compra, adquirindo uma máquina Toscotec MODULO-PLUS, atualmente programada para iniciar produção no segundo trimestre de 2020.

Confira a seguir os assuntos discutidos na entrevista:

Quem é a Celupaper S.A.? 

M. L. Speranza: A Celupaper é uma empresa familiar argentina que, ao longo dos anos, capitalizou suas próprias marcas para obter um crescimento significativo do mercado. Esse crescimento foi possível graças à qualidade de nossos produtos e à integração da produção de ponta a ponta, impulsionada pelo nosso esforço contínuo por eficiência. Temos uma missão clara, ou seja, oferecer o melhor produto possível a um preço justo.

Sobre sua estratégia tecnológica: vocês estão instalando máquinas tissue de 2.750 mm de largura e velocidade de 1.300 m/min, isso é para que vocês possam ajustá-las para produzir apenas um ou dois produtos de cada e assim maximizar a eficiência?

M. L. Speranza: Cada mercado tem suas características próprias e fomos capazes de entender as características em constante mudança do nosso mercado, que é bastante exigente, e acima de tudo, ouvimos nossos parceiros de negócios que pediam alta flexibilidade. O dimensionamento correto de nossas linhas de tissue permitem ajustar nossa produção à demanda do mercado e às necessidades de nossos parceiros de negócios.

Em 2016, ocorreu o start-up da TM3 sua primeira máquina Tissue Toscotec. Por que vocês selecionaram a Toscotec?

M. L. Speranza: Em primeiro lugar, na reforma da TM2, obtivemos excelentes resultados em termos de eficiência de produção e qualidade do papel. Em segundo, o forte suporte técnico que recebemos durante todo o projeto e o início bem-sucedido do TM2 foram fatores-chave que nos levaram a confiar na Toscotec.

Outro importante passo que foi dado no projeto da TM3 foi mudar para uma linha Tissue com tecnologia Crescent Former. A Toscotec nos apoiou durante todo o projeto de maneira excepcional. Outro aspecto muito importante na escolha do fornecedor, foi que o consumo de energia específico da TM2 após a reforma ficou em um nível muito baixo. Isso nos permitiu ser mais competitivos em um mercado cada vez mais exigente.

Que resultados vocês alcançaram com na TM3 em termos de desempenho de máquina e eficiência energética?

M. L. Speranza: Desde o primeiro jumbo de papel, obtivemos resultados muito bons; nós imediatamente produzimos papel Tissue vendável. Foi surpreendente e acredito que foi o resultado do excelente trabalho técnico que a Toscotec e a Celupaper fizeram juntos durante todo o projeto, a fim de atingir nossa meta de start-up. A TM3 é uma linha muito eficiente, com uma produção ideal de 50 ton/dia. É uma máquina muito confiável e de fácil operação. Isso nos permite estar sempre um passo à frente em termos de ações preventivas de rotina e garantir operações contínuas.

Em termos de consumo, logo após a inicialização, sentimos em primeira mão que essa nova tecnologia realmente nos fez dar um salto quantitativo em termos de eficiência energética. Estamos muito satisfeitos com os números de consumo da TM3 e estamos felizes em ver que nossos índices de eficiência energética são semelhantes aos das fábricas de papel europeias, o que era impensável para nós no início do projeto.

O consumo geral de energia da TM3, incluindo o preparo de massa, efluentes, auxiliares e a máquina de papel tissue, é de cerca de 600 kWh/tonpapel e o consumo térmico específico é inferior a 240 m3/tonpapel.

O que você pode nos dizer sobre a qualidade do produto que está produzindo? Como os produtos foram recebidos no mercado?

M. L. Speranza: Os produtos são de qualidade premium e perfeitamente alinhados com os padrões que estabelecemos para esta fase de expansão. Quando você tem boa formação e alta qualidade no rolo jumbo de papel, os processos a seguir simplesmente realçam essas características. Recebemos uma excelente resposta de nossos parceiros de negócios e clientes, que continuam escolhendo nossos produtos.

Vamos falar sobre a sua segunda máquina da Toscotec: TM4 em 2018. O que motivou sua escolha neste caso?

M. L. Speranza: foram três fatores determinantes que levaram à instalação da TM4 com a Toscotec. Primeiro, os excelentes resultados obtidos no desempenho da TM3 e na qualidade do produto final; em segundo a fácil operação da máquina e em terceiro, o suporte técnico fornecido pela Toscotec na fase pós-inicialização, durante a qual ajustamos toda a linha de produção e alcançamos as garantias de desempenho.

Em resumo, tivemos uma parceria muito boa e comunicações eficientes entre nossas equipes técnicas. Sob essas condições, a Toscotec sugeriu a instalação de uma máquina MODULO-PLUS e concordamos. Para nós, a Toscotec é um fornecedor comprometido com nossos objetivos de negócios e que realmente entende nossas necessidades, na medida em que eles desenvolvem soluções técnicas sob medida que atendem ao nosso mercado.

Como vocês avaliam o desempenho e a eficiência da TM4 após um ano e meio? E quanto a consumos?

M. L. Speranza: Novamente, devo dizer que os resultados operacionais são muito satisfatórios, porque obtivemos papel Tissue vendável muito rapidamente após o start-up. A experiência adquirida com a TM3 nos permitiu melhorar o layout dessa nova linha de produção. Isso também facilitou a operação e a manutenção da máquina para nossa equipe, aumentando assim a eficiência.

De fato, nesse projeto, construímos um canal de serviços abaixo da máquina que passa por todo o comprimento da TM4. Esse canal garante a instalação simples e limpa de componentes elétricos, além de fácil acesso à manutenção na realização de alguns serviços. Esta foi uma atualização de projeto importante para nós.

Assim como a TM3, os consumos específicos de energia (por tonelada de papel) são muito bons.

A qualidade do produto permanece muito alta, mesmo com as mudanças em nossa matriz de produção. Nossos clientes gostaram disso e continuaram a escolher nossos produtos. Como resultado, fomos capazes de prosseguir com nossos planos de investimento, mesmo em momentos tão difíceis para o nosso país.

A respeito de sua terceira linha completa de Tissue fornecida pela Toscotec, TM5: por que vocês decidiram usar a cogeração? Vocês ficaram satisfeitos com o design Toscotec e sua integração com o sistema de ar da máquina?

M. L. Speranza: Examinamos o fornecimento de energia industrial na Europa e os avanços na cogeração, incluindo alguns casos históricos de nosso setor. Em seguida, analisamos as perspectivas de fornecimento de energia para a produção de papel na Argentina. Percebemos que tínhamos a oportunidade de aumentar nossa eficiência de produção e vantagem competitiva. Graças ao progresso feito na geração de gás e considerando a escalada de aumento do preço da eletricidade, poderíamos aproveitar essas oportunidades e reduzir nosso custo de produção.

Para desenvolver o sistema de cogeração integrado a TM5, Toscotec e Celupaper reforçaram o trabalho em equipe e comunicações eficientes que sempre caracterizaram seu relacionamento. O projeto da Toscotec para a integração da planta de cogeração com o sistema de secagem prova claramente o esforço conjunto de engenharia de duas empresas focadas em um objetivo comum. Além da Toscotec, vários fornecedores participaram do projeto de cogeração, em particular a EIL Energy.

A Toscotec é sua fornecedora de máquinas tissue há mais de seis anos consecutivos, em quatro projetos diferentes. Como vocês descreveriam essa cooperação?

M. L. Speranza: A Toscotec entende nossas necessidades e confia em nosso conhecimento e experiência no mercado latino-americano, que se traduz em requisitos específicos para cada máquina em cada projeto que realizamos.

Valorizamos o caminho por onde passamos juntos e o crescimento que alcançamos.

A Toscotec é um parceiro industrial essencial para o sucesso de nossos negócios e contamos com eles para nossos projetos futuros.

Para saber mais sobre a parceria entre em contato:

LEIA TAMBÉM: