Notícias Tissue no Brasil

Suzano Tissue aposta em intercâmbio entre equipes para qualificação da mão de obra

Na visão do gerente executivo industrial da Unidade de Bens de Consumo da Suzano, a preparação do time operacional – planejada e executada durante cinco meses – foi fundamental para o sucesso dos projetos tissue da companhia.

“Ao longo desse processo de capacitação, atuamos em diversas frentes, tais como treinamento do time nos processos operacionais da Suzano (excelência operacional, processo de obtenção de celulose, branqueamento, geração de vapor etc.) e treinamento específico para casos de estudo dos fluxogramas de água, massa, vapor, ar comprimido e estudo do funcionamento dos principais equipamentos da máquina de papel”, revela Zenni. “Também realizamos um workshop com participação das empresas parceiras de feltros, telas, químicos, preparação de massa, parte úmida e seca da máquina, e promovemos treinamentos do time operacional, simulando a operação da máquina de papel”, contextualiza sobre as mais de 300 horas-aula aplicadas por colaborador em treinamentos técnicos e comportamentais.

Hoje, a Suzano conta com aproximadamente 1.450 pessoas trabalhando na unidade de negócios de Bens de Consumo, considerando toda a operação. “A maior parte dessa equipe atua na operação de Belém, da recém adquirida Facepa. Além da capital paraense, a equipe está distribuída entre as unidades de Fortaleza, Mucuri e Imperatriz. Também temos times de vendas e merchandising espalhados por todo o País e uma equipe administrativa em São Paulo”, esclarece Larissa Moraes, gerente de Gente da Suzano.

Ela conta que, com a aquisição da Facepa, a Suzano promoveu um forte intercâmbio de melhores práticas e processos entre as operações. “Agora estamos na fase de intercâmbio de pessoas para que possamos colocar na prática toda a experiência desse time multidisciplinar e com culturas diversas, para acelerar a troca de conhecimentos e o processo de formação de pessoas”, pontua sobre a etapa atual.

Detalhando o processo de integração das unidades fabris próprias e da Facepa, Guilherme Barreto, gerente de Estratégia e Novos Negócios da Suzano, revela que a empresa vem trabalhando no mapeamento de processos e de oportunidades de melhoria paralelamente à implantação da cultura da Suzano, desde que assumiu a operação, em março último. “Esse processo já está em curso e ocorre em paralelo à otimização das fábricas de Belém e Fortaleza, combinadas com a produção da Unidade Imperatriz. Dessa forma, garantimos a estabilização da operação e a unificação de políticas e procedimentos.”

Entre os avanços conquistados desde a incorporação da Facepa pela Suzano, estão a implantação da cultura de Saúde e Segurança da empresa, o incremento de volume de produção decorrente de contratação de novo turno operacional, a otimização operacional com a produção de Imperatriz, além da adoção de treinamento de código de conduta, melhorias em sistemas e processos de gestão diários.

Fonte: Revista O Papel

Comente com Facebook

Comentários