NotíciasTissue no Brasil

Segundo semestre deve ser de retomada para a indústria de tissue, diz diretor da Braswell

O primeiro semestre de 2021 foi desafiador para os fabricantes, que enfrentaram uma inflação disparada e queda nas vendas

O segmento de tissue enfrentou diversos desafios no primeiro semestre de 2021, como a alta dos insumos e a baixa no consumo, especialmente no segmento de consumo. O diretor de operações da Braswell, Geremias Viana, definiu este período como uma situação muito agressiva.

“O nosso segmento não estava preparado para o que ocorreu, tínhamos aquela impressão do ano passado de março e abril como meses muito bons e foi criada uma expectativa grande”, analisou, durante o Talk Tissue – Especial Fabricantes.

Apesar das expectativas, os fabricantes tiveram de lidar com uma inflação disparada que afetou o preço de diversas matérias-primas, como o gás. “Nesse momento, tiveram insumos que subiram até mais do que a celulose”, afirmou o diretor.

Por conta da queda da demanda da linha professional, as empresas passaram a investir mais na linha doméstica, a fim de repassar custos. “Vimos nos primeiros cinco meses do ano um aumento de 8% a 12% ao mês, e o mercado passou no máximo de 16% a 18%, então tem sido ainda uma diferença muito grande”, declarou Viana. E não é só na indústria de tissue que os preços estão em ascensão. “Todos os outros produtos que o supermercado varejo compra estão subindo”, complementou.

Apesar das dificuldades, o diretor acredita que o segundo semestre é um momento de virada. “Quando o institucional começar a retomar para o espaço normal e sua ocupação, as indústrias começam a se adequar novamente e isso vai fazer com que essa balança de capacidade e demanda seja ajustada”, concluiu.

Confira na íntegra o Talk Tissue – Especial Fabricantes:

 

Mostrar mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo