fbpx




Banner Incape Portal Tissue Online
Banner Animado Valfilm Portal Tissue Online

Notícias Tissue no Mundo

SCA quer liderança em Tissue e Fraldas na Europa

As ações da sueca Svenska Cellulosa Aktiebolaget podem subir mais de 20% nos próximos 12 meses.

As ações da sueca Svenska Cellulosa Aktiebolaget podem subir mais de 20% nos próximos 12 meses.

A sueca Svenska Cellulosa Aktiebolaget (SCA) recentemente mudou seu foco para a higiene, principalmente para papéis Tissue e fraldas. Durante o mês passado, criou-se uma oportunidade de compra, com as ações possivelmente subindo mais de 20% nos próximos 12 meses, com melhores margens em tissue e produtos de cuidado pessoal; o quadro é positivo para a aquisição ou recompra de ações.

Pouco mais da metade das vendas da SCA e lucro operacional vem de tissue, incluindo a Vinda Papel Higiênico na China e a Tork produtos sanitários. A SCA comprou a parte da divisão tissue da rival Georgia-Pacific, e parte da Koch Industries, em 2012, ajudando a cimentar a sua liderança na Europa. Nesse mesmo ano a concorrência na Europa encolheu quando Kimberly-Clark tirou de quase todas as suas operações, a comercialização de fraldas, e uma grande parte de seus produtos Tissue. Isso tornou a SCA, a única global em larga escala na indústria tissue europeia.

A repartição de fraldas da SCA, que responde por cerca de 10% das vendas do grupo, compete com a Procter & Gamble ‘s (PG) Pampers na Europa, e também com fornecedores de marca própria, que têm ganhando quota de mercado, ajudando a deixar de fora, a Huggies da Kimberly-Clark.

Na china, as fraldas foram a principal causa de um lucro abaixo do esperado em janeiro. À frente de um re-lançamento de sua marca Sealer no segundo semestre de 2013, o Chefe do Executivo Jan Johansson disse que a empresa teve que comprar de volta um estoque antigo que agravou o custo do relançamento e do aumento dos custos de marketing.

A empresa também gastou mais do que o esperado na campanha de um relançamento semelhante na Rússia, embora não tenha sido obrigado a comprar de volta o produto antigo.

Tudo isso deu a SCA, um custo de 120 pontos base de margem operacional, com os ganhos na divisão de cuidados pessoais 14% abaixo das expectativas. Johansson advertiu que o impacto seria sentido ao longo do primeiro trimestre de 2014.

Ainda assim, Jan Johansson diz que uma vez que o novo produto entra no mercado, vende bem, espera-se um salto de 60% a partir do terceiro ao quarto trimestre. A SCA espera ver uma melhora no segundo trimestre, quando os relançamentos terão seis meses de idade e os gastos com marketing diminuírem.

“Embora haja progresso na margem em cuidados pessoais, este ano será sem dúvida, de back-end carregado, não vemos quaisquer sinais alarmantes nesta fase que poderia nos impedir de retornar ao crescimento significativo rentável esperado”, dizem os analistas da Nomura.

A maior parte da transformação recente da SCA veio na forma de uma divisão de produtos florestais-verdes, que produz papel e produtos de madeira. A divisão é responsável por apenas 17% das vendas e dos lucros, contra 40% de outras divisões. O grupo vendeu sua divisão de embalagens no ano passado.

O que restou foi o racionalizado programa de florestas de eficiência da SCA, lançado em 2012, que irá impulsionar os ganhos por até 1.3 bilhões até 2015. Ao mesmo tempo, a SCA tem custos cortados em suas divisões de Tissue e de cuidados pessoais, onde eliminou 1.500 empregos, com a perspectiva de ‘salvar a empresa’.

Juntamente com as sinergias decorrentes da aquisição da Georgia-Pacific, “o valor combinado dessas economias equivale a 5 bilhões, o que corresponde a cerca de 58% dos lucros de 2012”, dizem os analistas do banco Nordea.

Há também um crescimento potencial para aquisições. A SCA comprou uma participação majoritária em Hong-Kong do grupo de Tissue chinês Vinda International Holdings no ano passado, como parte de seu esforço planejado para os mercados emergentes, especialmente na Ásia, onde o aumento dos padrões de vida estão estimulando a demanda por produtos de higiene. Mesmo com a dívida consolidada da Vinda em seu balanço, “ainda estamos em um índice de capitalização muito baixo, mas com uma alavancagem muito alta”, disse Johansson no mês passado. Em comparação com alguns de seus rivais, ele disse, “nós estamos em um balanço muito mais forte, o que também indica que ainda podemos crescer mais ainda por meio de aquisições.”

http://online.barrons.com/
Adaptado e traduzido por Tissue Online