Celulose Notícias

Preço da celulose em movimento de queda

Demanda fraca limita os preços da celulose

O mercado global de celulose deve permanecer desafiador no terceiro trimestre de 2019, segundo informou o mais novo relatório do Rabobank, divulgado essa semana. De acordo com o texto, esse fato se deve, principalmente à piora significativa da demanda por celulose na China que está impactando os preços.

“Os estoques de celulose nos portos chineses de Changshu e Quingdao estão elevados (42 dias) e aproximadamente dois terços são dos exportadores, indicando que com os volumes atuais o mercado pode ser abastecido por algum tempo. Apesar da constante oferta dos exportadores brasileiros e dos exportadores da Indonésia, que reduziram embarques para a China desde o começo de 2019, a demanda local não tem sido forte o suficiente para absorver os estoques”, diz o relatório.

Além disso, o mercado de papéis para impressão e escrita “parece estar mais fraco do que esperado, e as vendas de papeis sanitários (tissue) têm crescido menos do que era projetado (5% ante 8%), sinalizando uma demanda menos aquecida”.

“Novos anúncios de corte da oferta por parte da Suzano, reduzindo a produção em 2019 para 9 a 9,5 milhões de toneladas (capacidade de 11 milhões de toneladas), são positivos para o mercado e devem ajudar a reequilibrar os estoques na Ásia ao longo do segundo semestre. Porém, a recuperação no curto prazo depende de uma estabilização na demanda chinesa, que está sentindo os efeitos da guerra comercial com os EUA”, indica.

Menor crescimento na Europa também é um fator que afeta a demanda para alguns produtos, e que deve limitar a recuperação dos preços no terceiro trimestre. Entretanto, o Rabobank se mantém otimista sobre o mercado de celulose.