Notícias Tissue no Brasil

O que mudou na gestão de João Damato na Kimberly Clark Brasil

Uma Retrospectiva positiva da KC em 12 anos

em 2013 K-C inaugurou sua 5ª fábrica no País em Camaçari - Bahia

em 2013 K-C inaugurou sua 5ª fábrica no País em Camaçari – Bahia

A Kimberly Clark no Brasil, comandada até então pelo executivo João Damato, 63, hoje possui 5,5 vezes o tamanho que tinha em 2002; e tem lucro operacional 40 vezes maior. Líder no setor de higiene pessoal, possui mais de 100 itens em seu portfólio, como o absorvente íntimus, o papel higiênico neve e o papel toalha Scott.

Essa Kimberly, é a que será entregue a Sérgio Cruz, 47, que também já dirigiu a Kimberly nas Filipinas, na Venezuela e no Equador. Antes, trabalhou por 12 anos na Gillette (hoje da Procter & Gamble) na Colômbia.

A Companhia deve fechar 2013 com 15% de aumento em relação ao ano passado, no faturamento bruto, o que corresponde à R$ 3,4 bilhões. Damato prevê que em 2014, o aumento ainda será maior, devido à expectativas controvérsias em relação ao dólar, que acreditaram numa fixação em R$2, o que fez com que reajustassem o preço dos produtos em até 6%.

Ordem na casa, essa era a missão de Damato, em 2002, quando assumiu a Kimberly, que estava em crise, crise de caixa e de gestão, não tendo verba nem para pagar os salários dos funcionários.

Uma das estratégias foi a de focar em produtos de alta qualidade; por exemplo a produção de papel higiênico de folha simples foi cessada, na ocasião. “Hoje, temos versões de folha dupla e tripla.” Na última década, as participações de mercado da empresa quase triplicaram. A liderança da Kimberly abrange o patamar de 1º ou 2º lugar em todos os setores que atua. “Crescemos mais do que o próprio mercado, enquanto crescem de 5 a 10%, nós crescemos 15% ao ano!”

Linha de Produtos da Companhia passa dos 100 itens

Linha de Produtos da Companhia passa dos 100 itens

Devido a entrada de mais de 40 milhões de pessoas na classe média, Damato acredita que a Kimberly ainda tem espaço para se projetar ainda mais nos próximos anos. A companhia atua com 30% de participação no mercado. O poder de aquisição aumentou, e também há uma preocupação da população em adquirir um produto bom, de qualidade, e isso a KC já tem demonstrado preferência.

A Kimberly Clark é líder em papel higiênico (Neve e Scott), lenços de papel (Kleenex) e absorventes (Intimus). Em fraldas (com Huggies Turma da Mônica), disputa ponto a ponto a liderança com a Procter & Gamble (Pampers). E é vice-líder em fraldas para incontinência urinária (com Plenitud).

Damato diz ainda que a empresa está bem posicionada para encarar a disputa constante pela liderança, pois quanto mais concorrência, melhor é a qualidade dos produtos, e maior é q necessidade de se impor, e de trazer inovações ao mercado.

Hoje, a Kimberly possui mais de 5 mil funcionários distribuídos por cinco fábricas e três centros de distribuição no país (a companhia inaugurou em 2013, uma unidade em Camaçari-BA, totalmente independente, possui setor de logística melhorada para atender as regiões norte/nordeste). Os investimentos em 2014 ficam por conta da ampliação e à modernização tecnológica da capacidade das instalações. Damato ainda adiante que não demorará muito para a companhia se expandir para o Norte e o Centro-Oeste do país, regiões com aumento significativo de vendas.

Depois de trabalhar em empresas como Editora Abril e Unilever, Damato foi chamado para a Kimberly, com os seguintes dilemas para resolver: “Você sabe trabalhar com time derrotado?” e “O Brasil é um país para se investir?”. A resposta para ele era clara: “era um time derrotado num país derrotado”.

Damato colocou a companhia nos eixos, isso é fato; ele deixa a Kimberly em Janeiro, e diz que não quer parar de trabalhar; talvez ainda se envolva com operações da própria KC pelo mundo, ou atue como conselheiro de outras companhias.

[divider]

Méritos da Companhia durante a gestão de João Damato:
Linha do Tempo

2003 -> Um passo definitivo para consolidar a atuação da companhia no país: a K-C unifica e padroniza os processos e dados do negócio brasileiro. Em seguida, adquire 100% do controle acionário da Klabin Kimberly S/A e inaugura a planta de aparas de Correia Pinto (reciclagem de papel com redução de custo e preservação ambiental).

2004 -> Adota o nome institucional Kimberly-Clark Brasil e a Klabin Kimberly S/A passa a se chamar oficialmente Kimberly-Clark Brasil Indústria e Comércio de Produtos de Higiene Ltda.

2006 -> Em julho, a Kimberly-Clark comemora 10 anos de atuação no Brasil. Em setembro, a empresa desativa a unidade da Bacraft. Em novembro, adquire 100% das quotas da Kenko, assumindo o controle acionário da Kimberly-Clark Kenko.

2007 -> A companhia desativa a unidade de Cruzeiro e transfere maquinário e funcionários para a planta de Mogi das Cruzes. Inaugurado o Centro de Distribuição Mata Atlântica.

2008 -> Incorporação da Kimberly-Clark Kenko pela Kimberly-Clark Brasil, unificando as operações das duas empresas.

2009 -> Neve Naturali Compacto – Compactação de papéis, reduz o plástico das embalagens em 13 % e transporta 18% mais produtos por caminhão. Está a um ano no mercado o primeiro Papel Higiênico Premium feito com 100% de aparas recicladas.

2013 -> K-C inaugura sua 5ª fábrica no País em Camaçari – Bahia

[divider]

Fonte: Valor Economico / Kimberly-Clark.com.br

Adaptado por Tissue Online