CeluloseNotícias

Melhoramentos anuncia seu reposicionamento estratégico

Empresa está de “cara nova”, com o objetivo de conectar seus negócios a partir do propósito de ter impacto positivo na sociedade

A Cia. Melhoramentos anunciou ao mercado, na quinta-feira, 22, seu reposicionamento estratégico, incluindo nova identidade visual e logomarca. A nova “cara” da empresa objetiva conectar seus negócios a partir do propósito de ter impacto positivo na sociedade por meio de critérios ESG (Governança Ambiental, Social e Corporativa).

A novidade faz parte da ampla reestruturação promovida nos dois últimos anos pela companhia, que começou antes da chegada do atual presidente, Rafael Gibini, à empresa, com a escolha de um novo conselho de administração, em 2019. No entanto, o processo ganhou força no ano passado, quando o executivo assumiu a gestão com a missão de redefinir a estratégia de crescimento da Melhoramentos no mercado e abrir novas frentes de negócios.

Os diferentes negócios deixaram de ter um CEO cada, e agora, a Melhoramentos tem um CEO, cinco diretorias e cerca de 500 funcionários, a maior parte na operação industrial. “A empresa se tornou mais eficiente”, explicou Gibini, ao Valor Econômico.

Presidente da Melhoramentos, Rafael Gibini. Foto: Cláudio Gatti

“Essa nova fase conta com um novo modelo de governança, uma nova gestão, um novo Conselho Administrativo e, como consequência, um posicionamento renovado, mas sem deixar de honrar nossa história de 130 anos de conquistas. As ações, iniciadas em 2019 e que seguem ao longo deste ano, compreendem desde a transformação cultural, operacional e reposicionamento do nosso propósito que é de ‘Fazer Crescer para Melhorar o Amanhã’”, declarou o executivo, em uma postagem no LinkedIn. “Todas estas iniciativas resultam em um novo ciclo para a Cia. Melhoramentos, que recebe também uma nova identidade visual e logomarca, que reflete toda essa transformação”, completou.

Ao Valor Econômico, ele revelou planos e ambições para as áreas de operações da empresa. Nas áreas em que tem florestas, que fornecem madeira para a produção de fibras de alto rendimento, a presença de bacias hidrográficas pode levar a Melhoramentos a explorar pequenas centrais hidrelétricas (PCHs). Outra opção, segundo Gibini, é a geração de energia fotovoltaica.

Em Fibras, pode haver novo aporte para ampliação de capacidade produtiva, já que há disponibilidade de madeira. Atualmente, a produção anual é de 90 mil toneladas, e a organização tem, entre seus clientes, grandes fabricantes de papel cartão, como Suzano e Klabin. “A companhia conta com um parque tecnológico de última geração, e uma base florestal autossuficiente em suprimento de madeira. O destaque vai para a certificação FSC em todos os processos. Os produtos lançados nos últimos dois anos já representam 60% do faturamento da companhia”, complementa Thomas Meyer, diretor da Melhoramentos Florestal.

SOBRE A MELHORAMENTOS

Com 130 anos de história, a Melhoramentos é especialista em qualidade, know-how e confiança. Tem operações divididas em quatro negócios principais: mercado editorial, fibras de alto rendimento, gestão de florestas plantadas e projetos imobiliários. Sua sede administrativa está localizada na região metropolitana da cidade de São Paulo, e suas operações são distribuídas entre quatro propriedades, situadas nas cidades de Caieiras (SP), Bragança Paulista (SP), Camanducaia (MG) e Cajamar (SP).

Saiba mais detalhes no novo site da companhia.

Mostrar mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo