fbpx


Banner Incape Portal Tissue Online


Banner Animado Valfilm Portal Tissue Online

Coronavírus Notícias Personal Care

“Marcas oferecem experiência”, diz presidente da P&G no Brasil

fachada empresa p&g

Juliana Azevedo compartilhou as ações da companhia frente à crise que vem impactando muitos negócios no Brasil e no mundo

Em debate promovido pelo Portal Mercado & Consumo, a presidente da Procter & Gamble no Brasil, Juliana Azevedo, falou sobre o aumento no consumo de produtos de higiene e limpeza, que tem sido reforçado pela pandemia de Covid-19 e vem estimulando novos hábitos entre os brasileiros, e por consequência, impulsionando as vendas da fabricante de bens de consumo.

Juliana Azevedo compartilhou as ações da companhia frente à crise que vem impactando muitos negócios no Brasil e no mundo. De acordo com a líder da operação no país, será necessária uma reinvenção da sociedade para enfrentar a crise gerada pela pandemia do novo coronavírus. “A crise mais para frente vai acontecer e cada um de nós tem que se reinventar, disse.

Segundo a executiva, a P&G atua diretamente em segmentos essenciais ao lidar com áreas como saúde e higiene. “São marcas que fazem parte das vidas das pessoas. Num momento de crise, onde produtos destas categorias são muito demandados, isso é extremamente valioso”, comenta Juliana, ressaltando que acompanha diariamente os dados de abastecimento das lojas.

A presidente contou, ainda, que a crise vem sido acompanhada de perto desde o início na China e Europa, o que tem deixado a companhia mais preparada em outros países que tiveram que lidar com a situação depois. Em sua avaliação, as as boas práticas já aplicadas em outros países fizeram com que a operação brasileira adotasse três prioridades para o mercado. “Por aqui resolvemos focar na saúde e segurança dos nossos colaboradores, garantir o abastecimento dos produtos essenciais a população e reconhecer o tamanho que a empresa tem e o impacto que ela causa nas comunidades”, pontuou.

Desde o dia 17 de março, todo o escritório administrativo, composto por cerca de 1.500 pessoas, está em home office. O restante, um total de 4 mil pessoas, continua operando presencialmente nas fábricas e varejistas, com os promotores de vendas em campo. “Criamos mais de 20 novos protocolos nas fábricas, onde implementamos o uso de máscara, o aumento na frota de transporte, medição de temperatura e adaptação dos refeitórios e muito mais”, declarou.

Questionada sobre a participação on-line da P&G, Juliana disse que as compras no ambiente digital dobraram desde que a pandemia começou e que a preocupação com a higiene e limpeza cresceu significativamente. “O uso da compra online, seja com click & collet ou outra frente, é algo que vai acontecer com mais força. Ferramentas digitais, não só o e-commerce vai se fortalecer e muito”, defendeu.

Nesse sentido, a executiva contou sobre as alternativas da empresa com relação à categoria de fraldas, que representa a maior parte das vendas da fabricante no Brasil, por meio da marca Pampers. “As grávidas não podem mais fazer chá de fralda para não ter aglomeração, por isso fizemos uma parceria para a realização de um evento virtual e estimulamos as compras online, para que essa comemoração tão tradicional não se perca”.

Outro ponto abordado foi o empoderamento feminino. Juliana Azevedo, que começou como estagiária, é a primeira líder mulher da Procter & Gamble no Brasil, em que mais de 40% das posições de liderança são compostas por mulheres. Sobre o fato de ser uma líder mulher, ela se considera “sortuda por estar numa companhia em que a diversidade, inclusão e empatia são valores muito fortes”.

Ela exemplificou o assunto citando a campanha da marca Always, líder global em produtos para cuidados femininos. A marca doou R$ 200 mil à equipe liderada pela Dra. Ester Sabino – composta 60% por mulheres –, do Laboratório de Investigação Médica da Fundação Faculdade de Medicina, da Universidade de São Paulo, para fomentar as pesquisas sobre o novo coronavírus no Brasil e incentivar a participação de mulheres na ciência.

Isso também pode ser interessante 👇🏻
• Fábrica da P&G nos EUA é isenta de ordem de fechamento
• P&G doa R$ 3,2 milhões em produtos e recursos a pesquisa
• Incêndio é registrado em fábrica da P&G

Os recursos oferecidos pela marca auxiliarão nas pesquisas que buscam entender a curva de crescimento da Covid-19 no Brasil, servindo para o entendimento de diversas questões enfrentadas atualmente. “As marcas não são apenas produtos, elas oferecem experiência”, finalizou a presidente da P&G.