Banner Animado Valfilm Portal Tissue Online

Notícias Tissue no Mundo

Lucro da Portucel deve subir 2,3% no terceiro trimestre

Empresa de celulose e papel, que divulga resultados nessa quarta-feira, será penalizada por maiores custos financeiros.

portucel 2

Portugal – Os lucros da Portucel deverão subir 2,3% no terceiro trimestre, para 44 milhões de euros, com o EBITDA em 28,4% para 104 milhões de euros, devido ao aumento dos custos financeiros e provisões para precaver medidas antidumping nos Estados Unidos, segundo uma ‘poll’ de analistas contratados pela Reuters.

As receitas também aumentaram 3,6% para 405 milhões de euros. A Portucel divulga seus números em 29 de Outubro antes da abertura do mercado.

“O registo de provisões devido à margem ‘antidumping’ que está será paga nos EUA e a um acréscimo de encargos financeiros não recorrentes deverão afetar o resultado líquido”, diz Carlos Jesus, analista do CaixaBI.

Já o Haitong Research prevê a continuação de uma tendência forte no EBITDA devido a preços mais reduzidos da madeira e mais elevados do papel, o que beneficia um operador integrado como a empresa liderada por Diogo da Silveira.

A Portucel está se beneficiando de uma melhoria do mercado e do aumento da capacidade de produção, segundo o Haitong, que reviu em alta o preço-alvo da empresa, de 4 euros para 4,2 euros. A casa de investimento destaca uma melhoria no EBITDA devido à redução dos custos da madeira.

“Uma alta adicional dos preços de papel é uma possibilidade para 2016”, refere a mesma casa de investimento.

As apostas de papel ‘tissue’ e ‘pellets’ ajudam o crescimento futuro, compensando parcialmente a pressão estrutural de longo prazo sobre o papel, consideram os analistas.

Ainda assim, espera-se um semestre pior que o anterior, diz o CaixaBI. “Esperamos um decréscimo de receitas face ao trimestre anterior devido à habitual sazonalidade, mas com o segmento de celulose a providenciar algum suporte. O registo de provisões devido à margem ‘antidumping’ que está a ser paga nos EUA e um acréscimo de encargos financeiros não recorrente deverão afetar o resultado líquido”, segundo os analistas da CaixaBI.

economico.sapo.pt