fbpx

Banner Animado Adritz no Portal Tissue Online

Celulose Notícias

Leilões de terminais de celulose devem ocorrer em agosto

No leilão, vencerá quem der o maior valor de outorga para explorar as áreas, localizadas no Porto de Santos

O Brasil é um dos maiores produtores de celulose do mundo, sendo esse o produto com maior taxa de crescimento anual no Porto de Santos. Agora, esse mercado passará a ter mais infraestrutura no Brasil, com os leilões de dois terminais de celulose no Porto de Santos, no litoral de São Paulo, que devem ocorrer no dia 28 de agosto, de acordo com edital publicado pelo Ministério da Infraestrutura. Juntos, os terminais terão investimentos previstos em R$ 420 milhões, com contrato de concessão de duração de 25 anos, que pode ser prorrogado por até 70 anos.

Segundo o Ministério da Infraestrutura, os terminais STS14 e STS14A são destinados à movimentação e armazenagem de carga geral, em especial, celulose. As instalações serão licitadas separadamente. No leilão, que acontecerá em São Paulo, vencerá quem der o maior valor de outorga para explorar as áreas.

O terminal STS14, que tem área de 44,5 mil m², será atendido por dois berços localizados no cais público do Macuco, com extensão total de cerca de 1.000m. O futuro arrendatário deverá realizar investimentos, como construção de novo armazém e aquisição de pontes rolantes para propiciar o descarregamento ferroviário de uma composição de 67 vagões com 88 toneladas cada, em até 8,5 horas.

Já o vencedor do terminal STS14A, com área de 45,1 mil m², além de construir um novo armazém e realizar investimentos que permitam o mesmo descarregamento ferroviário do outro terminal, deverá custear equipamentos que possibilitem remessa de embarque, do armazém para o cais, de, no mínimo, 25 mil toneladas por dia.

Isso também pode ser interessante 👇🏻
• Terminais de celulose do Porto de Santos serão leiloados no 2º semestre, diz ministro
• Celulose puxa queda nas exportações do agronegócio gaúcho
• Implantação de terminais de celulose no Porto de Santos é aprovada

Conforme o Ministério da Infraestrutura, após os investimentos nos terminais, a movimentação desse tipo de carga deve saltar para cinco milhões de toneladas por ano.