NotíciasTissue na América Latina

Kimberly-Clark reduz uso de água para fabricar produtos tissue na América Latina

A instalação da empresa em Santa Cruz reduziu seu uso de água em mais de 86%, enquanto a economia na instalação de Sitio del Niño é suficiente para encher mais de 500 piscinas olímpicas

A conservação da água é fundamental para as metas de sustentabilidade da Kimberly-Clark, que trabalha para melhorar 1 bilhão de vidas em comunidades carentes em todo o mundo na próxima década e pretende reduzir sua pegada hídrica em 50% em regiões com escassez de água até 2030. Desde 2021, a Kimberly-Clark economizou mais de 34% no uso de água em suas instalações em áreas com escassez em relação a 2015.

Em apoio à meta de pegada hídrica da Kimberly-Clark, duas das fábricas da empresa na América Latina reduziram drasticamente a quantidade de água que usam para produzir papel higiênico e toalhas de papel Scott® juntamente com lenços faciais Kleenex®.

A instalação da Kimberly-Clark em Santa Cruz, na Bolívia, reduziu seu uso de água em mais de 86% desde 2015. A economia de água nesta instalação é suficiente para encher mais de 86 piscinas olímpicas.

Da mesma forma, a Kimberly-Clark reduziu seu uso de água em 68% desde 2015 em sua instalação em Sitio del Niño, El Salvador, e a economia de água nesta instalação é suficiente para encher mais de 500 piscinas olímpicas.

“Cuidar do planeta faz parte de como vivemos nossos valores na Kimberly-Clark, e estamos satisfeitos por termos alcançado economias significativas de água nessas fábricas, entre outras em todo o mundo”, disse Vetrivel Dhagumudi, programa global de água da empresa. “Continuamos a investir em medidas de economia de água em nossas instalações para minimizar nosso impacto ambiental e cumprir nosso propósito de Better Care for a Better World”.

As instalações de Santa Cruz e Sitio del Niño estão constantemente focadas em encontrar formas de reduzir, reutilizar e reciclar a água. Para alcançar sua notável economia de água, o processo de várias etapas começou com uma extensa auditoria para identificar correções fáceis, como vazamentos, além de oportunidades para reequipar máquinas individuais para usar menos água.

Além disso, novos sistemas de reciclagem de ciclo curto com filtragem de alta qualidade permitiram que as plantas reutilizassem mais água em vez de descartá-la. As equipes também atualizaram as próprias estações de tratamento de águas residuais das instalações para que pudessem reciclar mais água de volta à instalação.

Aumentar a consciência dos funcionários para o assunto também desempenhou um papel fundamental. “A cultura mudou porque fizemos muito treinamento para tornar as pessoas mais ‘conscientes da água’”, disse Susana Sierra, coordenadora ambiental das instalações da Kimberly-Clark em Sitio del Niño, uma região que sofreu sua primeira escassez de água na história em 2016.

“Agora, os funcionários estão capacitados com a gestão da água”, acrescentou. Eles relatam imediatamente um problema como uma torneira pingando, e encontramos uma solução muito rapidamente. Além disso, aproveitamos ferramentas de melhoria contínua como Lean Six Sigma para ajudar a conservar esse recurso precioso”.

Tudo isso contribui para a meta global da empresa de reduzir sua pegada ambiental pela metade até 2030 nas áreas onde pode fazer a maior diferença – água, florestas, clima e plásticos.

“Estamos muito orgulhosos de estarmos minimizando nosso impacto ambiental e reduzindo o uso de água de maneira significativa”, disse Alejandro Lechin, gerente de meio ambiente, saúde e segurança da unidade de Santa Cruz. “Estamos comemorando o 150º aniversário da Kimberly-Clark este ano e queremos continuar esse legado de crescimento sustentável pelos próximos 150 anos e além”.

Fonte
Kimberly-Clark
Mostrar mais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo