Celulose Notícias

Ibá pede urgência em política de estímulo às exportações

Presidente-executiva da Ibá, Elizabeth de Carvalhaes, participou de encontro de empresários com presidente interino Michel Temer, e destacou necessidade de também melhorar infraestrutura

Máscara_news_celulose

A Indústria Brasileira de Árvores (Ibá) pediu a urgência na elaboração de uma política de estímulo às exportações brasileiras em encontro de empresários com o presidente interino Michel Temer e os ministros de seu governo, destacando que essa é uma das medidas necessárias para estimular a economia do país e a recuperação da indústria nacional.

Segundo a presidente-executiva da Ibá, Elizabeth de Carvalhaes, o esforço de segmentos como celulose, papel e painéis de madeira para elevar as vendas externas é imenso em meio à queda de demanda no mercado interno. “Nós enfatizamos ao presidente da República e a todos os ministros presentes que, ao lado do câmbio favorecido, nós precisamos de mais crédito e política de estímulo à exportação”, afirma.

A executiva participou de encontro com Temer nesta quarta-feira (08), juntamente com cerca de 200 empresários de diversos setores. Além do estímulo às exportações, o setor privado destacou outras medidas para a recuperação econômica, como melhoria na infraestrutura e segurança jurídica.

Até que chegue aos portos como produto final – celulose, papel ou painel de madeira, uma árvore, depois de colhida, percorre em média 1.000 quilômetros. “Nós enfatizamos a necessidade de que as concessões na área de infraestrutura sejam agilizadas. O país não pode ter mais perda de competitividade por causa da infraestrutura”, ressalta Elizabeth.

Segundo a executiva, Temer também se mostrou atento à questão de segurança jurídica que, necessariamente, passa pela regulação de aquisição de terras por empresas com maioria de capital estrangeiro. “O presidente interino está ciente deste tema. Começamos a trabalhar firmemente com o Planalto. Temos no setor de árvores plantadas capacidade de expansão das multinacionais, e investimentos represados.”

No encontro com o governo, o setor privado destacou ainda a necessidade de estimular o consumo com a redução de juros e a elevação de crédito, como formas de melhorar a economia brasileira no curto prazo. Segundo a presidente da Ibá, isso elevaria a atividade industrial, freando o aumento do desemprego de forma mais rápida.