CeluloseNotícias

Fundador da Aracruz Celulose, hoje Suzano, morre aos 98 anos

O empresário norueguês radicado no Brasil, Erling Lorentzen, se tornou uma figura importante na indústria de celulose

O empresário norueguês radicado no Brasil, Erling Lorentzen, fundador da Aracruz Celulose, hoje Suzano, faleceu, aos 98 anos, em Oslo. A morte foi confirmada pela família real norueguesa, da qual Lorentzen fazia parte. “É com grande tristeza que recebemos a triste mensagem de que Erling Sven Lorentzen adormeceu. Nossos pensamentos vão para seus entes queridos, que perderam um bom pai, sogro, avô e bisavô”, disse o rei Haroldo V da Noruega, em comunicado oficial, sem revelar a causa da morte de Erling.

Lorentzen nasceu em Oslo, na Noruega, em 28 de janeiro de 1923. Lutou na Segunda Guerra Mundial, contra os alemães, aos 17 anos. Em 1945, foi aceito na Universidade de Harvard, nos EUA; em 1953, casou-se com a princesa Ragnhild da Noruega, a filha mais velha do rei Olavo V e da princesa Marta da Suécia, com quem teve três filhos, Haakon, Ingeborg e Ragnhild. No mesmo ano, veio ao Brasil por causa dos negócios da família no segmento de transporte marítimo. Chegando ao país, adquiriu, da norte-americana Esso, a distribuidora de gás de cozinha. Depois, abriu sua própria companhia de navegação, a Norsul.

Erling se tornou uma figura importante na indústria de celulose. Fundou, em 1972, a Aracruz Celulose, no Espírito Santo, considerada a primeira fábrica de celulose em linha do Brasil. Posteriormente, ela se tornou a primeira empresa do setor florestal no mundo a figurar na lista de empresas do Índice Dow Jones de Sustentabilidade (DJSI World) 2007/2008, da Bolsa de Valores de Nova York.

Em 1º de setembro de 2009, a companhia se fundiu com a VCP para formar a Fibria, tornando-se líder global no mercado de celulose e com receita líquida anual estimada em R$ 6 bilhões. Em 2018, a Suzano Papel e Celulose adquiriu a Fibria por R$ 65 bilhões.

 

REPERCUSSÃO

A morte do empresário foi lamentada por autoridades do Espírito Santo, como o governador Renato Casagrande. Por meio de uma rede social, ele exaltou o espírito empreendedor do norueguês. “O ES perdeu hoje uma das suas principais personalidades”.

O prefeito de Aracruz, Dr. Coutinho, decretou luto oficial de três dias no município. “O empresário levou o nome de Aracruz para o mundo. Foi um visionário e um dos maiores empreendedores do país, por sua marcante atividade empresarial e socioambiental. Ele deixa um legado de contribuições com o desenvolvimento do município evidenciando o empreendedorismo, liderança, trabalho e respeito a todos”, disse.

Quem também se pronunciou foi o ex-governador e atual presidente executivo da Indústria Brasileira de Árvores (Ibá), Paulo Hartung. “O exemplo de Lorentzen de empreendedorismo, busca por sustentabilidade, visão empresarial, representa um marco importante não só do setor, mas também para o Brasil e para a indústria mundial de celulose”, afirmou.

Em depoimento ao Folha Vitória, a presidente da Federação das Indústrias do Estado (Findes), Cris Zamorini, ressaltou “uma das maiores lideranças industriais do Espírito Santo” e a “liderança empreendedora e visionária” de Lorentzen.

Fonte
Tribuna OnlineFolha Vitória
Mostrar mais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo