fbpx


Banner Animado Valfilm Portal Tissue Online
Banner Incape Portal Tissue Online


Celulose Notícias

Fibria anuncia quarto aumento de preços em 2015

fibria

Os preços da celulose de eucalipto, uma especialidade dos produtores brasileiros, vão subir pela quarta vez em 2015. A Fibria, maior produtora mundial da matéria-prima, anunciou um reajuste de US$ 20 por tonelada válido para os três mercados globais de referência, a partir de 1º de setembro. Os outros três aumentos de preço do ano também foram de US$ 20 por tonelada.

Com o reajuste, o preço de referência da celulose de eucalipto será de US$ 920 por tonelada na América do Norte, de US$ 830/tonelada na Europa e de US$ 720 a tonelada na Ásia. Nesta semana, durante a 10ª conferência anual na América Latina da consultoria RISI, em São Paulo, Fibria, Suzano Papel e Celulose e da Eldorado Brasil indicaram que a tendência era de alta das cotações, diante do baixo nível dos estoques e da manutenção da demanda aquecida em todos os mercados.

Em relatório, os analistas Marcos Assumpção, Daniel Sasson e Carlos Eduardo Schmidt, do Itaú BBA, informaram que esperam preço médio para a celulose de fibra curta de US$ 775 a tonelada ao fim deste ano e de US$ 720 a tonelada ao fim de 2016. “Os altos preços da celulose em 2015 foram sustentados por: demanda de celulose de fibra curta mais forte do que o antecipado; uma maior utilização de fibra virgem, em comparação com o papel reciclado e fatores inesperados, como a paralisação da APP em Rizhao, na China”, escreveram.

Na China, além da procura cada vez maior pela fibra de eucalipto, contribui para a sustentação dos preços o fato de a indonésia April ter interrompido a produção de 1,8 milhão de toneladas por ano em Rizhao, por causa da seca que afeta a região. Não está claro em que momento haverá retomada da operação.

Nos Estados Unidos, a retomada da economia doméstica, ainda que lenta, tem sustentado o consumo de celulose. Na Europa, uma ligeira recuperação da indústria de papéis de imprimir e escrever e o bom desempenho dos segmentos de embalagens e tissue (papel para fins sanitários) formam um cenário favorável aos negócios.

Os analistas do Itaú BBA alertaram, porém, que não há expectativa de que a fábrica de Rizhao, permaneça fechada por muito tempo. Além disso, a Celulose Riograndense, da chilena CMPC, “provavelmente deve aumentar a pressão no lado da oferta, com uma produção de mais de 500 mil toneladas em 2015 e o dólar deve continuar a se fortalecer”, escreveram.