Firefly ABNotíciasTissue no Brasil

Como reduzir o risco de incêndio em armazéns de rolos jumbo?

O próprio papel encapsula as partículas superaquecidas, e uma vez que o fogo começa a se espalhar pelo rolo, não gera fumaça, então o equipamento tradicional não será capaz de identificar o incêndio a tempo

Todos os anos, há numerosos incêndios em armazéns de rolos jumbo ao redor do mundo, gerando milhões e milhões de euros em perdas. Em resposta a este problema, a Firefly ab realizou uma série de testes com vários fabricantes de papel tissue para determinar os riscos de incêndio durante a produção e armazenamento de um rolo jumbo.

Os testes foram realizados nos rolos jumbo em que o sistema Firefly WebScan™ detectou partículas superaquecidas. Estas partículas superaquecidas eram o resultado de partículas de pó que saíam da capota Yankee e caíam sobre o papel, bem como faíscas geradas na lâmina de raspa.

Esses rolos foram levados para uma área isolada onde equipamentos adicionais foram instalados para investigar o avanço das partículas superaquecidas dentro deles.

A primeira coisa que se percebeu ao investigar os rolos é que o próprio papel encapsula a partícula superaquecida, o que significa que esta partícula pode gerar um incêndio em qualquer direção dentro da bobina. O fogo ou a brasa tende a se mover mais rapidamente lateral do que radialmente. Além disso, a partir dos resultados da investigação, foi possível determinar que a velocidade de expansão diminui à medida que a superfície da bobina se aproxima. Esta característica se deve à capacidade de resfriamento, que é maior na superfície do rolo jumbo.

Em relação à energia necessária para iniciar um incêndio dentro de um rolo jumbo, foi observado que, em papéis com estrutura menos densa, a energia necessária também é menor; enquanto em papéis com estrutura mais densa, é necessária mais energia. Aqueles papéis que têm um conteúdo “maior” de ar dentro de sua estrutura são mais propensos a desenvolver um incêndio.

Como resultado da investigação, descobriu-se que, uma vez que o fogo começa a se espalhar pelo rolo jumbo, nenhuma fumaça é gerada, uma característica que aumenta o perigo destes eventos.

A fumaça foi gerada no momento em que o fogo está prestes a atingir a superfície da bobina.

Câmeras infravermelhas também foram usadas durante o teste, tanto para apoiar a investigação quanto para testá-las como um método alternativo de detecção. Descobriu-se que eles são uma boa ajuda se estiverem nas proximidades da bobina e o fogo estiver na superfície. Entretanto, se o fogo estiver dentro do rolo, a câmera IR não será capaz de detectar o fogo, devido às propriedades isolantes do papel tissue, que absorve a radiação. Quando o identificar, o fogo já estará na superfície e será tarde demais para agir.

 

Neste momento, sem fumaça ou chama, a única maneira possível de detectar este incêndio é analisando os componentes químicos presentes no ar.

Em resposta a isto, a Firefly ab oferece uma solução de última geração para a proteção de armazéns de rolos jumbo, o detector MGD™, ou “Nariz Eletrônico”.

O MGD foi projetado para usar uma classificação de padrões com uma rede neural, imitando nosso nariz. Faz uma análise inteligente da composição química do ambiente e das diferentes combinações de gases, ou seja, “cheira” o ambiente em que está instalado, e procura os diferentes padrões de substâncias no ar que indicam o início de um processo de combustão. Para dar um exemplo, é como se um de nossos vizinhos estivesse fazendo um churrasco, não podemos vê-lo, mas apenas pelo cheiro sabemos que ele está cozinhando carne.

Isto também significa que o detector Firefly de múltiplos gases é capaz de dar um aviso prévio de que algo está acontecendo no armazém, uma vez que não é preciso esperar pela fumaça ou pelas chamas com o avanço do incêndio. Este detector funciona na parte inicial da evolução de um incêndio, quando a liberação de gás está apenas começando.

O “odor” gerado pela combustão de cada tipo de material cria um padrão único, de modo que uma classificação de materiais é possível. Assim, os gases de combustão “inofensivos” que estão normalmente presentes no ambiente, podem ser ignorados.

O detector Firefly é testado e aprovado internacionalmente como uma solução para a detecção muito precoce de incêndios em ambientes industriais exigentes.

Para mais informações, entre em contato com os responsáveis Firefly pelo mercado brasileiro:

Para saber mais sobre testes e certificações nacionais e internacionais de cada produto, visite: www.firefly.se/en/company/approvals

Mostrar mais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo