fbpx

Banner Animado Adritz no Portal Tissue Online

Coronavírus Notícias Tissue no Mundo

Como ficará o mercado professional pós-crise?

Katrin-Handtowel

Produção e distribuição de toalhas de papel podem mudar à medida que os negócios forem retomando após a crise do coronavírus

À medida que as pessoas cultivam o hábito de acumulação de papel higiênico e aumenta a produção e distribuição de papel tissue, a demanda por incentivo à lavagem das mãos neste novo normal pode aumentar significativamente. Esse cenário pode mudar a produção e distribuição de toalhas de papel à medida que os negócios forem retomando após a crise do coronavírus.

A pandemia de Covid-19 trouxe um novo foco à limpeza e à prevenção da propagação de doenças por meio do contato pessoal e superfícies contaminadas. Os fabricantes de tissue focados no mercado comercial ou no AfH (Away from Home – Professional) há muito tempo entendem que lavar as mãos e secar com uma toalha de papel é uma necessidade que deve ser divulgada no mercado. Se as pessoas seguissem as orientações profissionais, haveria um aumento significativo na demanda de toalhas de papel.

Nesse sentido, os fabricantes da indústria de tissue precisam se perguntar: E se essa pandemia resultar em uma mudança radical na conformidade e na frequência da lavagem das mãos? E se clientes de restaurantes, hotéis e shoppings exigirem melhores instalações de higiene? E se as pessoas começarem a lavar as mãos depois de tocar em corrimãos e botões públicos? Se os hábitos de lavar as mãos mudarem de verdade, como secaremos as mãos?

As duas alternativas comuns quando se trata de secar as mãos são toalhas de pano (normalmente usadas em casa) e o temido secador de ar, comumente encontrado em banheiros públicos. No entanto, os secadores de ar criam condições para contaminação cruzada e anulam a finalidade da lavagem das mãos.

Em um relatório publicado no respeitado Mayo Clinic Proceedings em 2012, os autores afirmam que: “Do ponto de vista da higiene, as toalhas de papel são superiores aos secadores de ar elétricos. Toalhas de papel devem ser recomendadas em locais onde a higiene é fundamental, como hospitais e clínicas. Muitos estudos descobriram que o atrito é um componente essencial na secagem das mãos para remover a contaminação. As bactérias foram removidas das mãos lavadas pela ação abrasiva mecânica da secagem com toalhas de papel. E testes microbiológicos das toalhas de papel após o uso indicaram que muitas bactérias foram transferidas das mãos para as toalhas de papel”.

face-interfolhada

COMO A PRODUÇÃO DE TOALHAS DE PAPEL SERÁ AFETADA?

No primeiro trimestre de 2020, os Estados Unidos produziram 57% de todas as toalhas de mão comerciais. Isso oferece a oportunidade de usar os EUA como um caso de teste para modelar possíveis alterações de demanda após a pandemia.

O mercado americano de toalhas de mão cobre uma ampla gama de produtos. Um pouco menos de um quarto de todas as toalhas ainda são os lenços umedecidos e faciais. Cerca de 85% do volume total é feito de papel reciclado.

Quase 25% das toalhas de mão usadas nos Estados Unidos são produzidas com TAD ou alguma outra forma avançada de tecnologia de tecidos para criar maciez e absorvência aprimoradas. Essa é uma tendência que cresce à medida que os fabricantes tentam oferecer serviços aprimorados para clientes importantes. A capacidade americana de toalhas de mão cresceu a uma CAGR (taxa de crescimento anual composta) de 6,5% entre 2007 e 2019.

Isso também pode ser interessante 👇🏻
• Copapa conquista o Rótulo Ecológico ABNT Ambiental
• Reduza os custos sem sacrificar o desempenho do produto
• Produtos marca própria ganharão força pós-crise?

Uma pequena mudança no comportamento do consumidor em resposta à pandemia pode ser um aumento na demanda de 10%, exigindo duas novas máquinas de tissue grandes. Se as pessoas fizerem mudanças significativas na utilização de toalhas de mão, um aumento de 30% na demanda (exigindo quase seis novas máquinas de tissue) é estimado.

O impacto no negócio de tissue seria grande, mas os produtores americanos ficaram calados sobre o assunto no passado, ao contrário dos produtores europeus. Talvez desta vez seja diferente. Os fabricantes de tissue devem se orgulhar do papel que desempenham na saúde pública e estar dispostos a promover seus produtos.

Fonte: Tissue World Magazine