fbpx
CeluloseNotícias

Celulose continua sendo o principal produto de exportação do MS

No ano de 2020, o produto representou 28,7% do total exportado no estado

Em 2020, o principal produto de exportação de Mato Grosso do Sul continuou sendo a celulose, com 28,7% do total exportado. Em relação ao volume, o aumento foi de 4,232 milhões de toneladas em 2019 para 4,538 milhões toneladas em 2020 (7,22%).

Apesar disso, o valor apurado no ano passado (US$ 1,667 bilhão) foi menor que o de 2019 (US$ 1,980 bilhão), devido à variação para menor no preço da commodity.

O principal município exportador no ano de 2020 foi Três Lagoas, com cerca de 41,83% dos valores exportados, com composição baseada sobretudo nas exportações na indústria de papel e celulose.

De forma geral, as exportações de Mato Grosso do Sul no ano passado somaram US$ 5,808 bilhões, valor 11,32% superior ao total apurado em 2019 (US$ 5,217 bilhões). Por outro lado, as importações foram menores (US$ 1,905 bilhão) em 2020 em relação ao ano anterior (US$ 2,403 bilhões). Dessa forma, o saldo da balança comercial, isto é, o resultado da diminuição de tudo que foi comprado do exterior com o valor das vendas ficou em US$ 3,902 bilhões, contra US$ 2,814 bilhões apurados em 2019, representando um crescimento do superávit de 38%.

 

O desempenho positivo das exportações sul-mato-grossenses tem relação com a desvalorização do real diante do dólar, o que torna o produto nacional mais barato nos mercados internacionais.

Os dados foram divulgados nessa quinta-feira, 7, na Carta de Conjuntura nº 62, pela Semagro (Secretaria do Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar). Confira o documento da íntegra aqui.

Fonte
Governo do MS
Mostrar mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Baixe nosso e-book!

Conheça OS PRINCIPAIS fabricantes de papel tissue do Brasil e suas capacidades produtivas.

Este levantamento apresenta os principais fabricantes de papel tissue no Brasil em ranking definido por capacidade produtiva instalada.