BuckmanNotíciasTissue no Brasil

Buckman aposta no uso de novas tecnologias e ferramentas

A empresa tem feito diversas inovações para entregar as melhores soluções para seus clientes

A pandemia do coronavírus forçou as empresas a buscarem inovações para manter seus negócios, atender aos novos hábitos de consumo e às novas necessidades dos seus clientes em meio à crise. Com o distanciamento social exigido para mitigar o contágio, o contato entre as pessoas passou a ser majoritariamente remoto e on-line, abrindo novas possibilidades para as empresas inovarem em tecnologia.

Durante o Talk Tissue com Felipe Quintino, o gerente de vendas da divisão de papel da Buckman para Latam, Fabrício Cristofano, falou sobre as novas ferramentas usadas e a busca constante da companhia por tecnologias. “A Buckman tem um conceito chamado ‘realidade conectada’, que é um passo além da chamada ‘realidade aumentada’, usando uma tecnologia hololens com qualidade de imagem muito boa, as possibilidades de interatividade passam impressão de estar no local e oferecem informações no campo visual, como gráficos e imagens”, explicou o executivo.

Essa ferramenta é ideal para dar suporte remoto aos clientes e já foi utilizada com sucesso. “Nós usamos essa ferramenta em um teste industrial no Chile e tivemos dois apoios, um nos Estados Unidos e um no Brasil, porque também é possível compartilhar, ou seja, ter mais pessoas usando a mesma visão”, disse. “A ferramenta está dentro dos quesitos de segurança, é certificada para garantir o uso com total segurança”, completou Fabrício.

Além disso, o gerente de vendas observou que, com a tendência da alta no preço da celulose, as aparas passaram a ser uma opção interessante para os fabricantes, mas que geram uma demanda pelo controle de stickies com alta performance. Dessa forma, a Buckman está promovendo e lançando um pacote que é visto por muitas áreas na indústria do papel como o sistema mais eficiente para essa finalidade. “É basicamente uma aplicação conjunta de detaquificante e de formulação enzimática, então, o conjunto dessas duas aplicações fornece o melhor controle de stickies dentro de uma máquina tissue”, declarou Cristofano. Com a possibilidade de agregar mais níveis de aparas, a solução pretende aumentar a lucratividade do negócio.

Outra nova tecnologia da Buckman é a Fiberlytics, que analisa as características da fibra e do processo de maneira a orientar a melhor seleção da enzima, utilizando essa tecnologia de forma personalizada para cada aplicação. “Claro que com isso, a Buckman consolida seu posicionamento de líder como fornecedor de enzima e também de aplicação”, afirmou Fabrício.

Com um pacote de soluções completa para otimizar custos e qualidade do processo do cliente, a Buckman busca trabalhar de forma assertiva para atender às demandas do cliente. “A nova tecnologia chamada “Creping Tester” visa dar suporte para os fabricantes de tissue na seleção do melhor pacote para alcançar o melhor resultado do processo de crepagem, simulando no processo a aplicação dos químicos. Adquirimos também um refinador de laboratório dedicado para estudos de aplicação de enzimas para redução de energia de refinação. Estamos visualizando vários movimentos no sentido de reduzir gastos com refinação, e caso apareçam, já estaremos bem-preparados”, concluiu o executivo.

Confira na íntegra o Talk Tissue com Fabrício Cristofano, gerente de vendas da divisão de papel da Buckman para Latam:

Mostrar mais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo