Notícias Tissue na América Latina

Argentina: Produção local de Tissue movimenta economia

argent

A economia da Argentina tem sofrido com crises repetidas, déficits, inflação alta, dívidas crescentes. Rica em recursos naturais, a Argentina tem uma base industrial bem desenvolvida e diversificada. A agricultura é um pouco limitada, pois menos de 15% da terra é utilizável. E Toalha & Tissue em geral tem produção limitada, ambos, são produtos derivados da indústria de papel.

A Argentina é 32 ª produtora em todo mundo de Tissue, e a quarta na América Latina. A taxa de crescimento da produção no país reflete um pouco o índice, porem a economia vai ficando para trás. Em 2002, viram a economia no fundo do poço, mas o PIB cresceu, e nos últimos 6 anos, o país vem se reerguendo, alimentado por excelentes condições financeiras internacionais e as políticas fiscais com foco no crescimento. De 2007 a 2008, o crescimento abrandou e no ano seguinte, a economia mundial entrou em recessão. Em 2010, a economia voltou forte, mas diminuiu outra vez. Em comparação, no mesmo período de 10 anos, o mercado Tissue da América Latina esteve em uma inclinação constante (Figura 1), mesmo com os anos de recessão da econômica mundial.

As fábricas de Tissue argentino, estão geograficamente concentradas nas áreas ao redor de Buenos Aires (Mapa 1).

A Argentina ocupa a quarta posição em capacidade de produção Tissue na América Latina (Figura 2).

Argentina também ocupa a quarta posição (empatado com a Venezuela) no número de máquinas em operação (Figura 3).

As máquinas de Tissue na América Latina variam a partir de máquinas de dois metros para seis metros. Em termos de faixa de compensação para a região, elas tem uma média de 3,0 metros (Figura 4).

Produção das fábricas na Argentina está na média em comparação com outros países produtores na América Latina, aproximadamente 40.000 MT (Figura 5).

A Posição de custo da Argentina sobre Tissue no mercado latino-americano está centrada entre os dois maiores países produtores, Brasil e México. A Argentina tem uma dependência maior em celulose comprada, mas reduz os custos trabalhistas e de energia, em média, em comparação com os países de custo mais elevado (Figura 6).

A celulose representa 48% do mercado, com o restante, reciclado (Figura 7).

Fibras recicladas estão presente na maioria dos países latino-americanos, com alguns usando 100% reciclado. As taxas de produção de Tissue argentino são dominadas por pequenas máquinas que produzem menos de 40.000 MT / Yr. Apenas 27% das máquinas estão produzindo no 40.000 – Faixa de MT / Yr 70.000 (Figura 8).

Máquina de guarnições são estreitas com aproximadamente 80% delas sendo inferior a 3,5 metros (Figura 9).

Menos de 20% das máquinas são mais largas, medindo 5,5 metros. (Figura 10).

A idade de máquinas da Argentina tem uma dispersão de largura, com mais máquinas abaixo da média do que acima (Figura 11).

O negócio Tissue na Argentina é predominantemente local, com cerca de 70% com sede produtora na Argentina (Figura 12).

Tissue World Magazine
Adaptado e traduzido por Tissue Online.