Colunista Tissue Notícias

Vantagens na Utilização da Metodologia TPM

Escrito por Pedro Oliveira

O programa TPM tem como vantagem do ponto de vista econômico, uma melhor utilização do ativo de uma empresa. Ou seja, o aumento da capacidade de produção com a manutenção do ativo da empresa, ou, em outros casos, a manutenção da capacidade de produção com uma menor utilização do ativo da empresa.

Estes resultados não são alcançados logo no início da implantação da filosofia TPM, mas somente com o desenvolvimento de todas as pessoas envolvidas no processo produtivo é que se conseguirá os resultados positivos do programa TPM. Trata-se de um processo lento, o qual sua implantação deve seguir o cronograma pré-estabelecido, para que, desta forma, nenhuma etapa seja implantada de maneira apressada e, consequentemente, gerar a necessidade de ser repetida novamente. Com a implantação correndo de acordo com o estabelecido a partir da etapa de Manutenção Autônoma, os frutos do programa TPM já podem ser colhidos.

Um dos primeiros indicadores a serem afetados é o número de quebras, assim como outros que vão sendo melhorados de maneira gradativa. Como por exemplo: aumento da produtividade, melhoria da qualidade, reestruturação comportamental da organização, maior integração do homem com a máquina, melhoria das condições de trabalho, minimização de custos além de redução dos índices de acidentes. Portanto, se uma máquina está sempre disponível e em perfeitas condições de uso, a mesma propicia elevados rendimentos operacionais, minimização dos custos de fabricação e a redução dos níveis de estoque.

Nos dias atuais, sabe-se que para sobreviverem as empresas, dependem da produção de bens ou serviços com competência e eficiência para se manterem no competitivo mercado atual. Dessa maneira, é de responsabilidade da diretoria de uma empresa desenvolver recursos para o fornecimento das condições necessárias, para que assim se possa alcançar os objetivos estratégicos, tais como: obtenção de vantagens competitivas, melhoria da produtividade, conscientização dos colaboradores, atualização de know-how, etc.

Para que, desta forma os colaboradores possam atingir uma maior rentabilidade, elaboração de um plano diretor para ações futuras para os produtos com baixa rentabilidade entre outros fatores, para que uma empresa possa atingir um excelente nível de competitividade.

Essas são algumas das vantagens para a utilização do programa TPM, pois como

afirma Nakajima (1986), TPM é altamente lucrativo.

A evolução da Manutenção Preventiva se deu em quatro estágios:

  • Estágio 1 – Manutenção Corretiva
  • Estágio 2 – Manutenção Preventiva
  • Estágio 3 – Manutenção do Sistema de Produção
  • Estágio 4 – TPM

Este conceito de PM que surgiu nos Estados Unidos e se aprimorou no Japão evoluiu de maneira gradativa da seguinte forma:

  • A partir do ano de 1951 (o que antecedia este ano era a manutenção pós quebra) se desenvolveu a Preventive Maintenance – PM (Manutenção Preventiva ou Produtiva), que foi definida como um acompanhamento das condições físicas das máquinas e equipamentos. Esse acompanhamento era uma espécie de “medicina preventiva” aplicada as máquinas e equipamentos. Da mesma maneira que a expectativa de vida do ser humano foi ampliada graças aos avanços tecnológicos da medicina preventiva, a vida útil dos equipamentos industriais também pode ser prolongada através da prática de medidas ou manutenções preventivas.

A Manutenção Preventiva tem como principal objetivo evitar as interrupções das operações das funções desempenhadas pelos equipamentos ou ainda pelos seus componentes, perda da função definida do equipamento ou falhas e ausência do funcionamento permanente dos mesmos.

  • No ano de 1957, a mentalidade de se prevenir as quebras ou falhas dos equipamentos e máquinas foi ainda mais aprimorada, surgindo assim a Corrective Maintenance – CM (Manutenção por Melhoria). É um sistema pelo qual o conceito de prevenção de falhas e defeitos em equipamentos foi ampliado, no sentido de se aplicar os mesmos aperfeiçoamentos de modo a eliminar as ocorrências de falhas e defeitos quanto à melhoria da própria capacidade de manutenção. A realização destas melhorias para se evitar falhas e quebras veio a propiciar um incremento na confiabilidade e consequente facilitação da manutenção.
  • A partir do ano de 1960 a grande preocupação se voltava aos novos projetos seguindo a Maintenance Prevention – MP (Prevenção contra Manutenção). Onde os projetos eram elaborados com a preocupação inicial de não se dar manutenção aos equipamentos e máquinas assumindo assim a união dos esforços para a obtenção deste ideal, este tipo de manutenção também era conhecida como Maintenance Free (Livre de Manutenção).

Alguma dúvida? Deixe seu comentário ou entre em contato através do e-mail.

Comente com Facebook

Comentários


Sobre o Autor

Pedro Oliveira

Engenheiro Mecânico
Mestre em Planejamento Energético
MBA em Finanças
Professor de Pós Graduação na Universidade São Francisco e Faculdades Atibaia.
EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL NAS EMPRESAS:
SANTHER, HALLIBURTON, CENTRO DE PESQUISA E INOVAÇÃO UNICAMP