CeluloseNotícias

UPM investe 22 milhões de euros em melhoria do desempenho ambiental

A empresa investiu em suas fábricas finlandesas de celulose durante as últimas paradas de manutenção

A UPM investiu um total de 22 milhões de euros no desempenho ambiental de suas fábricas finlandesas de celulose durante as últimas paradas de manutenção. A paralisação, recentemente concluída na UPM Pietarsaari, foi a segunda da primavera europeia, logo após a da UPM Kaukas, em Lappeenranta. Para garantir um bom desempenho, a UPM fecha as fábricas de celulose para manutenção, aproximadamente, a cada 18 meses. Simultaneamente, são feitos investimentos em desenvolvimento, na melhoria da confiabilidade operacional e no desempenho ambiental etc.

Os investimentos na tecnologia mais recente apoiam o objetivo da UPM Celulose de melhorar a eficiência da produção e, ao mesmo tempo, reduzir as emissões. A companhia está comprometida em reduzir a demanda química de oxigênio (DQO) em 60% em relação aos níveis de 2008 até 2030. Essas metas ambiciosas estão sendo perseguidas passo a passo.

“A modernização da linha de lavagem de fibra na fábrica de celulose de Kaukas reduzirá a carga de DQO para a estação de tratamento de águas residuais e para o Lago Saimaa em 5%. Além disso, a atualização reduzirá a necessidade de nutrientes adicionais usados na estação de tratamento”, diz Juha Kääriäinen, vice-presidente das operações de celulose da UPM Finlândia.

A meta da UPM é que, até 2030, apenas nutrientes reciclados sejam utilizados nas estações de tratamento de água de suas fábricas.

Um projeto de investimento está em andamento na fábrica de celulose de Kaukas para melhorar a operação da linha de fibra. Assim que for concluído, os produtos químicos serão melhor reciclados e a carga de COD para o Lago Saimaa será ainda menor.

Na fábrica de celulose Pietarsaari, foram renovadas partes dos processos de branqueamento de ambas as linhas de produção. Essa atualização reduzirá o consumo de produtos químicos e a carga na estação de tratamento de efluentes, o que reduzirá diretamente os efluentes da planta.

Segundo a empresa, a atualização também visa contribuir para a qualidade do ar, reduzindo as emissões atmosféricas.

“O sistema de tratamento de gás de exaustão da fábrica de celulose Kaukas foi atualizado para permitir uma detecção de falhas mais rápida. A atualização reduzirá a duração de incidentes, melhorará a coleta de gases odoríferos e reduzirá as emissões fugitivas”, diz Juha Kääriäinen.

As emissões atmosféricas da fábrica de celulose Pietarsaari serão ainda mais reduzidas graças à renovação do sistema de ar na caldeira de recuperação. O sistema foi projetado usando a mais recente pesquisa tecnológica e modelagem 3D.

Em novembro de 2021, a capacidade do filtro elétrico do forno de cal UPM Kymi foi ampliada e o sistema de automação e controle dos filtros elétricos, modernizado. Esses investimentos reduziram significativamente as emissões de partículas do forno de cal. Ao mesmo tempo, uma planta de oxigênio no local foi comissionada – isso reduz os impactos ambientais indiretos das operações da planta, como a redução das viagens de veículos pesados de mercadorias até a planta.

A UPM está empenhada em desenvolver suas operações para uma economia de energia de baixo carbono, na qual as fábricas de celulose desempenham um papel fundamental. Plantas de celulose com alta eficiência energética produzem eletricidade renovável, principalmente a partir de biomassa renovável, além de suas próprias necessidades.

As atualizações da turbina a vapor na fábrica de celulose de Kaukas melhoraram a eficiência energética, aumentando a produção de eletricidade da própria fábrica em 10%.

Além disso, a recuperação de energia das fábricas de celulose Kaukas e Pietarsaari foi aprimorada – isso aumentará a eficiência da produção de eletricidade das fábricas e melhorará a segurança do processo.

Fonte
UPM
Mostrar mais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo