Celulose Notícias

Turbinas a vapor começam a ser montadas para o Projeto Puma, da Klabin

Foto: Divulgação. Projeto Puma

Foto: Divulgação. Projeto Puma

A Siemens, líder de engenharia elétrica e eletrônica no Brasil, acaba de iniciar o processo de montagem das maiores turbinas já fabricadas para a indústria de celulose e papel, com capacidade total de 384 megawatts (MW) geração de energia. As turbinas foram fabricadas para a nova planta de celulose da Klabin, em construção no município de Ortigueira, no Estado do Paraná. O projeto integrado entre Siemens Brasil e Alemanha deu à companhia o título de fornecedora oficial das maiores turbinas a vapor já produzidas para a indústria de celulose e papel no mundo.

Para o projeto foram fabricadas duas turbinas e dois geradores. Os equipamentospossuem capacidade de 192 megawatts (MW) cada e foram desenvolvidos na Alemanha. Já os sistemas auxiliares desenvolvidos especialmente para o projeto, como os painéis elétricos e as unidades hidráulicas de lubrificação, foram fabricados no Complexo Industrial da Siemens em Jundiaí, em São Paulo.

A nova unidade da Klabin em Ortigueira será autossuficiente na geração de energia elétrica, com produção de 270 MW, sendo que 120 MW serão utilizados para consumo próprio. Os 150MW de energia excedente – suficiente para abastecer uma cidade de 500 mil habitantes –, serão disponibilizados no Sistema Interligado Nacional (SIN). Como a energia será proveniente do licor do processo da celulose e da biomassa residual do processamento da madeira na fábrica, toda a energia produzida pela Klabin será limpa, proveniente de fontes renováveis e sem queima de combustíveis fósseis.

Siemens e klabin

“Temos atuado como consultores em projetos como este da Klabin, para a qual fornecemos tecnologias de ponta com soluções eficientes e com melhor custo-benefício para nossos clientes. É um grande marco para a Siemens fabricar as maiores turbinas a vapor do mundo para a indústria de celulose e papel e poder agregar valor para a empresa”, diz Mara Mendonça Gonçalves, Gerente de Vendas de Turbinas a Vapor da Siemens Brasil.

Com capacidade anual de produção de 1,5 milhão de toneladas de celulose, sendo 1,1 milhão de celulose de fibra curta e 400 mil toneladas de celulose de fibra longa, parte dela convertida em celulose fluff – utilizada na produção de fraldas descartáveis e absorventes –, a nova fábrica deve começar a operar no início do próximo ano. Já a geração de energia elétrica pode começar ainda em dezembro deste ano.

Siemens