fbpx




Banner Animado Valfilm Portal Tissue Online
Banner Incape Portal Tissue Online

Celulose Notícias

Suzano consegue licença para plantios na fazenda Eldorado

Empresa repetirá no extremo norte do Estado situação de degradação e êxodo provocada pela monocultura do eucalipto no Sapê do Norte

plantacao-de-eucalipto-para-producao-de-celulose-size-620

O Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal (Idaf) emitiu na última semana a licença de operação (LO) nº 011/2014, que autoriza o plantio de 1.364 hectares (13.64 metros quadrados) de eucalipto na Fazenda Eldorado, propriedade da Suzano Papel e Celulose, localizada entre os municípios de Montanha e Mucurici, extremo norte do Estado. A licença prévia (LP) para o mesmo território foi emitida em agosto deste ano, contemplando uma área menor, de 1.483 hectares (14.83 metros quadrados).

O projeto se consolida na região, apesar da forte oposição de entidades como o Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA) e a Rede Alerta Contra o Deserto Verde, que denunciam há décadas a contaminação do solo e da água gerados pelos plantios de eucalipto, devido à produção em larga escala e ao uso de defensivos agrícolas, além da mecanização da produção, que gera desemprego. A Suzano também é responsável por promover o êxodo rural e os conflitos instalados no campo.

A Suzano seria, ainda, uma das beneficiadas por um projeto de lei que permitiria o aumento da monocultura de eucalipto de 15% para 25% da área total do município de Montanha. A derrubada deste projeto da Câmara de Vereadores do município aconteceu no ano passado, em meio à pressão dos pequenos agricultores contra o avanço dos eucaliptais e às manifestações contrárias de diversos vereadores. O motivo para a retirada do processo de pauta teria sido a polêmica gerada pela articulação entre o prefeito Ricardo Favarato (PMN) e a Aracruz Celulose (Fibria).

Junto com a Aracruz Celulose, a Suzano responde pelo modelo de desenvolvimento representado pelas monoculturas de eucalipto no Estado. A concentração de terras em poder das multinacionais impede ainda a realização da reforma agrária e o desenvolvimento de projetos da agricultura familiar.

A consolidação dos projetos da Aracruz e da Suzano só foi possível graças a financiamentos públicos do Banco Nacional de Desenvolvimento (BNDES). Nos municípios do extremo norte do Estado, a empresa repetirá os impactos sociais e ambientais já conhecidos das comunidades tradicionais da região, principalmente quilombolas do antigo território do Sapê do Norte, formado pelos municípios de São Mateus e Conceição da Barra.

Além da fazenda Eldorado, a Suzano arrendou 14 fazendas em Montanha, divididas nos blocos II, III e IV. O Bloco II compreende as fazendas Juazeiro, Luziane, Balão, Oriental, Esplanada, Alvorada, Luiz Siqueira e São Jorge, com área total de plantio de 2.533,46 hectares. Já no Bloco III estão as fazendas Santa Fé I, Santa Fé II e Santo Antônio, com área de plantio de 630 hectares. E, por último, no Bloco IV, as fazendas Eldorado II, Colina e Estrela do Oriental, onde será plantado eucalipto em 1.805,99 hectares. As fazendas integram a Bacia do Rio Itaúnas e, por enquanto, apenas o Termo de Referência do plantio nessas áreas foi aprovado.

selo_ok

seculodiario.com.br