ESGNotíciasTissue no mundo

Sofidel é reconhecida como líder em práticas ESG

A companhia italiana ficou em primeiro lugar em classificação de risco ESG entre mais de 120 empresas do setor de produtos domésticos, de acordo com a Morningstar Sustainalytics

A Sofidel, fabricante italiana de papel tissue, recebeu uma classificação de risco ESG de 13,6 da Morningstar Sustainalytics, ficando em primeiro lugar entre mais de 120 empresas do setor de produtos domésticos.

A classificação reconheceu a Sofidel por seu forte compromisso com a preservação da biodiversidade, estratégias anticorrupção, transparência e esforços para combater as mudanças climáticas e o aquecimento global.

Com 1.500 funcionários nos EUA, a companhia também se classificou na categoria “Baixo risco” em agosto de 2022, que lista empresas com forte capacidade de gerenciar riscos ambientais, sociais e de governança que caracterizam as três áreas de responsabilidade de uma empresa.

A Morningstar Sustainalytics é uma provedora líder de pesquisa ESG e governança corporativa, além de uma empresa de classificação e análise que apoia investidores em todo o mundo com o desenvolvimento e implementação de estratégias de investimento responsável.

A Sustainalytics também classificou a Sofidel no top 10% de mais de 15 mil empresas globais avaliadas. “Mais uma vez, a classificação de risco ESG da Sustainalytics atesta o rigor de nosso compromisso com a sustentabilidade ESG e as políticas de gestão de riscos”, comentou Luigi Lazzareschi, CEO do Grupo Sofidel.

“Essas análises, além das classificações financeiras tradicionais, representam uma referência para investidores, observadores externos e partes interessadas em todo o mundo, cujas escolhas são cada vez mais guiadas pela capacidade das empresas de desenvolver e implementar estratégias eficazes de sustentabilidade. Este é um reconhecimento que nos agrada, pois traduz o empenho e a dedicação dos últimos anos em resultados mensuráveis, essenciais para nos permitir comparar com as melhores práticas internacionais e, sobretudo, detectar novas áreas de melhoria”, completou a executiva.

DESTAQUES

A Sofidel se destacou no ranking das categorias materiais de Uso do Solo – Biodiversidade e Ética nos Negócios. Na gestão de riscos relacionados ao Uso do Solo – Biodiversidade, a empresa obteve nota 97/100, graças a uma rígida política de compras florestais, desenvolvida em colaboração com o World Wildlife Fund (WWF), cujo único objetivo é o desmatamento zero.

Hoje, a Sofidel usa apenas celulose 100% certificada em esquemas de cadeia de custódia florestal e está comprometida com o monitoramento ativo de países de alto risco e a introdução de medidas de controle no segundo e terceiro níveis de sua cadeia de suprimentos. Além disso, está entre as primeiras empresas do mundo a aderir à plataforma “Forests Forward” lançada pelo WWF para proteger florestas e ecossistemas.

Na categoria de Ética nos Negócios, a Sofidel alcançou uma pontuação de 86,9/100 por seu compromisso contínuo em promover modelos de integridade, anticorrupção e transparência.

Recentemente, a empresa estabeleceu um novo processo de auditoria interna para garantir que todos na empresa sigam os procedimentos e ajam e operem de maneira ética.

Também houve feedback positivo sobre a descarbonização. Na avaliação de risco residual para a categoria Carbono – Operações Próprias, a empresa obteve uma classificação de “risco insignificante” (1.3 Negligenciável), que reconhece a estratégia de descarbonização da Sofidel.

As metas de redução do grupo para 2030 são: redução de 40% nas emissões de CO2 dos escopos 1 e 2 – aquelas produzidas diretamente por seu negócio – e redução de 24% do escopo 3 – emissões relacionadas à cadeia de suprimentos são endossadas pela iniciativa Science Based Targets (SBTi) como consistentes com os requisitos do Acordo de Paris.

Nesse contexto, o grupo está implementando uma estratégia de múltiplas opções (com base nos contextos legislativo, climático e infraestrutural dos vários países onde opera) para diferenciar o mix energético com o objetivo de ter 84% da energia comprada derivada de fontes renováveis até 2030.

Fonte
Sofidel
Mostrar mais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo