Celulose Notícias

Servidores indústrias de celulose querem manifestação

cambara_toras

 Cerca de 1,4 mil trabalhadores das três indústrias de papel e celulose instaladas em Três Lagoas ameaçam uma manifestação pacífica em frente das empresas nos próximos dias. O ato seria por insatisfação com as negociações salariais propostas pelas empresas com os servidores, com data-base do mês de agosto. De acordo com Almir Morgão, presidente do Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias de Papel e Celulose, as empresas ofereceram um reajuste de 0,5% sobre o ganho real, sendo que a expectativa da classe é de 5%. “Caso os administradores não atendam nosso pedido após a manifestação, 80% dos sindicalizados já estão dispostos a entrar em greve. Vamos consultar nosso corpo jurídico para ver a possibilidade de fazer a ação dentro da lei”, apontou.

Morgão aponta que, duas das três indústrias instaladas na cidade, têm unidades no Estado de São Paulo, onde teria sido acatado pelo funcionalismo o reajuste de 1,8% sobre o ganho real com data-base de outubro. “Foi solicitado o mesmo percentual de Mato Grosso do Sul, porém os trabalhadores aceitaram o reajuste por acréscimos de benefícios, entre eles, tickets de alimentação”.

O sindicalista afirma que as indústrias de Três Lagoas têm condições de atender a solicitação de reajuste, já que ganha em lucratividade devido ao pouco tempo uso das máquinas industriais. “Como as indústrias estão há pouco tempo em funcionamento, no máximo cinco anos a mais antiga, elas ganham em lucratividade em contratar menos mão de obra, além de produzir a mais por conta da eficiência de uma máquina em boas condições. Não entendemos porque eles não repassam pelo menos o mesmo percentual dos trabalhadores do Estado de São Paulo”, questionou.

Outra questão apontada pelo presidente é de que os salários dos servidores transferidos das unidades de São Paulo são desproporcionais ao dos trabalhadores que são naturais de Três Lagoas. Segundo Morgão, 60% do funcionalismo é natural da cidade e 40% vieram de outras regiões. “É mais um motivo de reivindicação por reajuste salarial. Há cinco anos negociam com as empresas os benefícios como de São Paulo, porém o repasse sempre foi menor. Queremos a valorização desses trabalhadores e melhores condições de vida”.

AS INDÚSTRIAS

A InternationalPaper esclarece que está negociando o Acordo Coletivo de Data Base com o Sindicato dos Trabalhadores de sua unidade em Três Lagoas. A empresa informou que até o momento, não recebeu nenhuma notificação oficial sobre uma possível manifestação. Jáa Eldorado Brasil Celulose continua o processo de negociação com o Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias de Papel e Celulose do município. As negociações serão concluídas após os pontos de debate sejam acordados com os colaboradores.

A Fibriaesclareceu, também, em nota que também não recebeu nenhuma notificação sobre possível manifestação de greve e as negociações com o sindicato, seguem em normalidade e que está aberta ao diálogo com as partes envolvidas neste processo.