Notícias Tissue no Brasil

Saiba mais sobre fibras de alta qualidade para produção de papéis Tissue premium

Por Paul Watson, diretor de Inovação e Canfor Pulp Wlad Janssen, especialista em tissue para Canfor Pulp

MayJune_Canfor-4-300x225

A fibra é o único elemento de maior custo de um produto de papel acabado, tipicamente mais do que 50% do custo total, é claro, com variações e dependendo de atributos de qualidade, tais como maciez, volume, resistência e absorção.

Os maiores produtos de papel de qualidade ainda são produzidos, principalmente, usando fibras virgens, geralmente uma combinação de fibra longa e fibra curta. A parte de madeira hoje é maioritariamente produzida a partir do eucalipto.

Existem produtos de tissue feitos com a polpa de madeira 100%, e estes podem ser muito macios, no resultado final. No entanto, existem desvantagens, tais como a degradação da resistência de gravação em relevo e a eficiência de conversão mais baixa.

Por causa da diferença de preço entre fibra longa e polpas de madeira de lei, não faz sentido otimizar sem comprometer as propriedades do produto final e a eficiência na fabricação.

As margens de lucro mais altas tendem a ser realizadas nos produtos de papel de alta qualidade, e assim tornam-se ‘diretrizes’ para obter a melhor qualidade possível. Muitas vezes, as propriedades tornaram-se o alvo de concorrentes. A fibra de celulose, a tecnologia de fabricação e know-how em conjunto podem entregar o nível de qualidade alcançado no produto tissue final.

Todas as polpas kraft de fibra longa não são iguais. Existem diferenças na força e é diferente para cada polpa durante a baixa consistência de refino. Em geral, a energia de entrada é mantida abaixo dos 100 kWhr / MT.

A qualidade da fibra é essencial para tornar o produto final com a mais alta qualidade. Em muitas indústrias, a qualidade dos materiais de base regula a qualidade do produto acabado, e o tissue não é exceção.

MayJune_Canfor

A matéria-prima para o tissue contém fibras de diferentes origens, isto é, a partir de diferentes polpas que podem ser utilizadas juntamente com alguns outros componentes, eventualmente, tal como ilustrado nas curvas de refinação, nas figuras 1 e 2.

Embora a mistura pode ser bastante complexa, é possível realizar observações gerais acerca das propriedades desejadas para a matéria-prima, e a partir deste, derivar os fatores chave da qualidade da fibra que são necessários.

É desejável para o fabrico de uma folha de base Tissue, que essa tenha força, suavidade e volume. Utilizando uma matéria-prima que requer o mínimo de energia possível para a desidratação e secagem da máquina de papel.

Uma simples drenagem, tenderá a fazer tanto a desidratação por meios mecânicos e assim, a secagem subsequente mais fácil, utilizando menos energia. Para o fabricante do tissue isso também resulta em um volume maior e suavidade em um processo de crepe seco, sendo tudo o resto igual.

MayJune_Canfor (2)

Fig. 2 mostra a força em função do grau de refinação para um número de polpas NBSK qual foi determinada utilizando o refinador piloto. As polpas NBSK da Canfor Pulp, Intercontinental e Northwood, são identificados neste gráfico como o fornecimento de resistência à tração superior.

Se a força mais elevada é obtida ao utilizar a energia de refinação mais baixa, e polpa de madeira macia menos precisa ser refinada, em seguida, esta é uma vantagem adicional que se traduz em menores custos.

Refino é um assunto muitas vezes esquecido pelos fabricantes de Tissue, pelos efeitos negativos, como a perda de massa e suavidade, porém o assunto é importante demais para negligência. Refinando sob condições de escoamento e consistência adequada, usando um projeto da placa otimizado, resulta em um menor custo de energia e qualidade da polpa mais elevada.

Se o teor de ‘finos’ é elevado na matéria-prima, a drenagem será afetada negativamente, e pó pode ser gerado na máquina de papel e na conversão, o que pode ser evitado.

MayJune_Canfor (3)

Nos testes, descobrimos que a refinação é geralmente abaixo do ideal. Uma das razões é que uma fábrica de tissue produz alguns produtos diferentes, em composições variadas. A parte de madeira macia que é refinada, pode variar, por exemplo, a partir de 10% a 60%, dependendo da qualidade do tissue a ser feito, ou seja, guardanapo, papel higiênico, papel facial, toalhas, ou outra classe de produtos.

Sob estas circunstâncias, será difícil de manter as condições de escoamento de consistência adequada e para o refinador que é usado.

Para tissues moles e volumosas, recomenda-se refino de apenas de fibra longa.

Refino ideal para curtas e longas fibras é realizado com diversos modelos de placas, Portanto, o refinador deve ser utilizado em um nível mínimo de entrada de energia.

O Produto final deve ser muito flexível, tendo um elevado volume, e uma superfície lisa, mas tem de ser suficientemente forte, ter boas características de absorção, e não deve perder significativamente a força quando está sendo gravado, laminado etc

Os parâmetros de uma polpa de qualidade são geralmente fornecidas por uma folha de propriedade típica (TPS) que é baseada em medições de qualidade das fibras convencionais.

Fibras de madeira mole longo e fino

O TPS é um indicativo, mas não dá uma imagem completa, uma vez que é geralmente baseada em uma única amostra, ocasionalmente atualizada, que relata as medições que são feitas em uma folha padrão.

A variabilidade das características da celulose são importantes e podem alterar a eficiência da produção e da qualidade do produto final, o qual, no caso do tissue podem ser mudanças na força, volume e maciez.

Os resultados da avaliação total das propriedades de um carregamento de celulose não é conhecido, por causa do tempo que leva a completar os testes.

A Canfor Pulp está agora trabalhando ativamente para otimizar ainda mais variações de qualidade da polpa através da implementação de um conjunto exclusivo de estado das fibras e medições de controles que abrangem o processo de fabricação de celulose a partir da entrada de lascas de madeira para a produção de celulose.

Canfor Pulp é líder global de produtos de papel e celulose branqueada e não branqueada de fibra longa com operações no interior central da Colúmbia Britânica, e no Canadá.

selo_ok

Tissue World Magazine